Se Liga News



23/10/2018

Como o evangelho alcançou a brutal tribo dos “divisores de crânios” na Amazônia

"Nós estamos matando pessoas e nos drogando. Queremos viver uma vida diferente. Alguém nos contou sobre o Filho de Deus. Você sabe quem é?"




Os guerreiros da tribo “quebradores de crânios” caminhavam 10 dias a pé de uma aldeia nas profundezas da floresta amazônica porque queriam encontrar alguém que lhes falasse sobre o Filho de Deus, escreveu o articulista Mark Ellis do The Christian Post.
“Eles enviaram cinco caras”, diz Larry Buckman, veterano missionário da Renew Outreach. “Os velhos da tribo disseram que eram velhos demais para ir, então mandaram os jovens para fora.

“Por que eles decidiram caminhar 10 dias direto para o norte para encontrar alguém? Eles não tinham como saber que havia alguém lá em cima. É claro que o Espírito Santo estava liderando eles.”
Os Yanomami que saíram da selva estavam entre os piores da série “quebradores de crânios” em toda a Amazônia, da região de Hakoma, segundo Larry. Enquanto havia alguns crentes Yanomami, a área de Hakoma não foi alcançada. Cinquenta e cinco anos antes, dois missionários chamados Bob e Steve tentaram levaram o evangelho a eles.
Quando Bob e Steve foram pela primeira vez à área de Hakoma nos anos sessenta, relataram que quase todo mundo estava drogado, tinham muco verde feio saindo de seus narizes e vomitavam o tempo todo. “À noite eles ficavam possuídos por demônios, batiam em suas esposas e abriam suas cabeças com seus porretes.
“A tradição era que se uma garota ia se casar com outro homem, o homem mais velho da tribo a teve em primeiro lugar. Se ela deixar o jovem tê-la em primeiro lugar, ela a espancará”, relatou Bob a Larry.
“Eles quase nos mataram”, disse Bob.
Os cinco guerreiros chegaram ao rio Palimi-ú em setembro de 2012, após sua jornada de 10 dias.
Eles entraram em uma vila onde dois cristãos brasileiros, Paul e Bethany, estavam vivendo há 14 anos, aprendendo a língua e traduzindo o Novo Testamento.
Notavelmente, os cinco chegaram ao auge de uma celebração pela igreja local, que envolvia alimentos, danças, a Ceia do Senhor e os batismos.
Os crentes imediatamente os reconheceram como os temidos Separadores da Caveira, inimigos da aldeia. Os guerreiros estavam vestidos de tangas, armados com arcos e flechas, zarabatanas e dardos venenosos mortais. O clima de comemoração repentinamente mudou.
Eles vão nos matar?  eles se perguntaram. Surpreendentemente, os cinco entraram na linha de batismo com outros 32 novos crentes.
“Eu não perguntei se eles queriam Jesus; batizei os cinco junto com os outros”, contou Paul.
Ele e Bethany convidaram os guerreiros para a casa deles e passaram as cinco horas seguintes conversando com eles.
Os homens explicaram a razão pela qual viajaram a tal distância. “Estamos cansados ​​de viver da maneira que sempre vivemos”, disseram a Paul e Bethany. “Nós estamos matando pessoas e nos drogando. Queremos viver uma vida diferente. Alguém nos contou sobre o Filho de Deus. Você sabe quem é?”
Paulo contou a eles sobre o Deus Criador – o Pai, Jesus, o Salvador, e o Espírito Santo, o amigo, o consolador e o guia. “Vimos seus olhos brilharem de admiração com tudo o que dissemos”, contou Paul.

  • Comentários no Blogger
  • Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Item Reviewed: Como o evangelho alcançou a brutal tribo dos “divisores de crânios” na Amazônia Rating: 5 Reviewed By: Oedimar Oliveira