Se Liga News



15/10/2018

Escola Bíblica Dominical: A importância da perseverança

Texto Áureo
"Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados.
Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;", 2 Co 4.8,9

Verdade Aplicada
Nunca esperemos agradar a todos, senão ficaremos escravos da opinião alheia. Procuremos agradar a Deus em Cristo Jesus.

Glossário
Amainado: Que se tornou calmo ou sereno; acalmado;
Hercúleo: Que é extremamente difícil de realizar;
Nefasta: Que pode trazer dano ou prejuízo; prejudicial.
Textos de Referência.

Ne 3.1-4
1. E levantou-se Eliasibe, o sumo sacerdote, com os seus irmãos, os sacerdotes, e reedificaram a porta do gado, a qual consagraram; e levantaram as suas portas, e até à torre de Meá consagraram, e até à torre de Hananel.
2. E junto a ele edificaram os homens de Jericó; também ao seu lado edificou Zacur, filho de Imri.
3. E à porta do peixe edificaram os filhos de Hassenaá; a qual emadeiraram, e levantaram as suas portas com as suas fechaduras e os seus ferrolhos.
4. E ao seu lado reparou Meremote, filho de Urias, o filho de Coz; e ao seu lado reparou Mesulão, filho de Berequias, o filho de Mesezabeel; e ao seu lado reparou Zadoque, filho de Baana.

E levantou-se Eliasibe, o sumo sacerdote, com os seus irmãos, os sacerdotes, e reedificaram a porta do gado, a qual consagraram; e levantaram as suas portas, e até à torre de Meá consagraram, e até à torre de Hananel.
E junto a ele edificaram os homens de Jericó; também ao seu lado edificou Zacur, filho de Imri.
E à porta do peixe edificaram os filhos de Hassenaá; a qual emadeiraram, e levantaram as suas portas com as suas fechaduras e os seus ferrolhos.
E ao seu lado reparou Meremote, filho de Urias, o filho de Coz; e ao seu lado reparou Mesulão, filho de Berequias, o filho de Mesezabeel; e ao seu lado reparou Zadoque, filho de Baana.

Neemias 3:1-4
Introdução
Realizar a obra do Senhor não é trabalho fácil. As dificuldades se apresentam de toda a parte. Nesta lição, abordaremos como Neemias enfrentou essas circunstâncias, não esmoreceu no meio do caminho e saiu vitorioso.

1. Os princípios empregados por Neemias

O escrito J. Welch afirma que os líderes se empenham para que as pessoas não só compreendam a visão, mas também que a vivencie e a respirem. Nesse ponto e´inevitável referimo-nos a Neemias, pois, quando ele toma a iniciativa de mobilizar o povo, põe-se na linha de frente. Analisemos os princípios empregados por Neemias.

1.1. O princípio da prioridade
A visão de terra arrasada na qual havia se tornado Jerusalém já fora contemplada por muitos, mas ninguém tomava a iniciativa de se restabelecer a ordem. A sensação de impotência era uma autêntica barreira. Um dos aspectos que foi relevante para Neemias obter êxito em sua empreitada foi o princípio da prioridade. Obras de grande envergadura só podem ser idealizadas por uma mente tranquila (1Pe5.7; Fp 4.8). Nossa mente é alvo constante dos ataques de Satanás e, se nos deixarmos levar pelas sugestões malignas, não teremos paz o suficiente para planejarmos adequadamente.

1.2. O Princípio da cooperação
O bom líder é aquele que edifica relacionamentos enquanto participa das tarefas. Para esse hercúleo trabalho, Neemias conseguiu a cooperação entre pessoas de diferentes lugares e profissões, sem falar das suas personalidades. Sacerdotes, levitas, pessoas que atuavam em cargos de chefia, porteiros, guardas, fazendeiros, artífices, funcionários do Templo e mulheres (Ne 3.1, 7-8, 12, 17). Todos cooperando para a reconstrução dos muros. O bom líder é aquele que vê o potencial das pessoas e as encoraja a acreditarem em si mesmas. Em outras palavras, isso é delegar tarefas.


1.3. O princípio da comunicação
A passagem bíblica da torre de Babel nos dá uma noção da importância da comunicação (Gn 11.1-9). No início falavam uma só língua, entretanto, a intenção de seus corações era nefasta. O resultado foi a confusão de línguas, como juízo divino, pois buscavam glória e honra para si mesmos. Na reconstrução dos muros, liderada por Neemias, temos pessoas de diferentes classes sociais. Contudo, a intenção de seus corações era buscar o bem comum. Desta forma, puderam obter o favor de Deus. Às vezes, o líder enfrenta dificuldades no cumprimento da sua missão devido às intenções do coração de alguns.

2. Motivação, inspiração e trabalho
Neemias foi um líder que não apenas se preocupou em motivar os outros com palavras, mas se colocou a disposição para inspirá-los com seu exemplo, quando, junto com eles, trabalhou arduamente. Em certas circunstâncias, precisamos nos lanças ao trabalho focado em nosso objetivo.

2.1. Instrumento nas mãos de Deus
É interessante que Neemias escreva um autobiografia e, mesmo assim, consiga ausentar-se da autoexaltação. Parecia antecipar o que Jesus Cristo diria cerca de meio milênio depois, sobre os que tem o hábito de fazer sua próprio promoção (Lc 14.11). Somos meros instrumentos nas mãos do Todo-Poderoso. Se pensarmos de modo diferente, é possível que estejamos tentando roubar a glória que pertence a Deus (Is 42.8).
  
2.2. Produzir sob pressão
O verdadeiro líder é aquele mantém firme a visão da meta a ser atingida. O papel protagonizado por Neemias ilustra essa  e outras realidades da vida. Percebemos nelo o zelo e amor pela obra de Deus. Ele precisou, com pulso firme em suas convicções, enfrentar e resistir à oposição, fosse ela oriunda de pessoas, instituições ou ideologias. Moisés, Davi e Paulo mostraram ter essas qualidades. O Senhor Jesus é o nosso maior exemplo. Todos os que foram citados mantiveram a disposição de continuar trabalhando, mesmo debaixo de todo tipo de pressão.

2.3. Impelido pela fé
Há pessoas que trabalham bastante, mas sem objetivo, apenas por necessidade, ou por medo de perder algo. O diferencial em Neemias é que ele trabalhava bastante, sim, mas estava impelido pela fé e conseguiu incuti isso no povo. No Salmo 127.2, lemos uma expressa orientação acerca do muito trabalhar sem que haja um sentido claro para tal. Façamos o trabalho com o melhor das nossas forças, visando a glória de Deus (Ec 9.10; 1Co 10.31).


3. Como reagir às críticas?
O livro de Neemias é uma fonte de muitas riquezas no que diz respeito à estrutura de um cristão. Contemplamos esse homem de Deus sofrendo tentativas de ser diminuído em seu caráter, ter seu valor reduzido a nada e ver seus ideais de reconstrução lançado às traças. Todavia, quando estamos caminhando dentro da vontade de Deus, podemos orar com Davi (Sl 70.1,5). Neemias foi assim. Aprendamos mais um pouco com esse servo do Senhor sobre como reagir às críticas e outros ataques.

3.1. Não desanime com as críticas
Neemias é um exemplo de perseverança mesmo sendo criticado, ameaçado e caluniado. Se o ânimo de Neemias fosse amainado pela obra daqueles maldizentes, certamente o muro não seria reedificado no tempo recorde de cinquenta e dois dias (Ne 6.15). Agora, note que é importante examinar os argumentos de quem nos critica. Se há algo de plausível ou se os mesmos são racionais, então nada nos deve impedir de engatar uma marcha à ré, isto é, parar e analisar o que estamos fazendo. Todos, com exceção de Cristo, o único perfeito, o único perfeito, estão sujeitos a errar (Tg 3.2).

3.2. Não dê demasiada importância às críticas
Não fiquemos paralisados com as críticas (Ec 7.21). Como dito anteriormente, elas devem ser consideradas, mas não devemos deixar que nos dominem ou guiem. Geralmente, as pessoas que mais se queixam são as que mais são motivo de queixas. Dar atenção extremada aos tais é desperdiçar o precioso tempo que deveria ser empregado na realização das tarefas que o Senhor Deus nos confiou. Assim como há críticos ao nosso redor,  há também os que estão no mesmo pensamento e dispostos a nos ajudar.

3.3. Ore pelos autores das críticas
A pessoa crítica sempre se vê como alguém sincero e verdadeiro. No entanto, pode não perceber sua falta de sensibilidade. Pode chegar a sentir-se orgulhoso, pois imagina que esteja ajudando os outros a serem "pessoas melhores". O perigo é quando tais pessoas se julgam donas da verdade e consideram que suas ideias são ímpares e infalíveis. Para interagir com a pessoa crítica, precisamos aprender a assertividade - "trata-se de uma postura comportamental diante de pessoas ou circunstâncias no dia a dia. É ser firme e direto sem sentir ou causar constrangimentos. É uma capacidade de se afirmar de maneira clara, objetiva e transparente, sem delongas". Era assim que Jesus Cristo agia (Lc 10.25-37; 15.1-2). Não tente agradar a todos, mas saiba analisar as críticas. Se forem construtivas, cresça com elas . Se forem destrutivas, não se abata com elas. Em ambos os casos, ore por quem as proferiu.

Conclusão
Neemias motivou com palavras e inspirou com seu exemplo. Era um homem que trabalhava junto com seus liderados. Negou a si mesmo, evitando a soberba e considerando que toda honra e toda a glória são devidas a Deus. Enfrentou os críticos, orando e mantendo o foco no trabalho. Que possamos praticar o que aprendemos com a vida de Neemias.

Questionário.
1. Quem pode idealizar obras de grande envergadura? R: Uma mente tranquila (1Pe 5.7; Fp 4.8)

2. Qual passagem bíblica nos dá uma noção da importância da comunicação? R: A da torre de Babel (Gn 11.1-9).


3. O que lemos no Salmo 127.2?R: Uma expressa orientação acerca do muito trabalhar sem que haja um sentido claro para tal (Sl 127.2).

4. Ao fazer o trabalho com o melhor das nossas forças, o que devemos visar? R: A glória de Deus (Ec 9.10; 1Co 10.31)

5. O que diz Tiago 3.2?
R: Que todos estão sujeitos a errar (Tg 3.2).


Fonte: Revista Betel


SE VOCÊ QUER AJUDAR ESSA OBRA, ENTÃO CLIQUE EM NOSSOS ANÚNCIOS! 
  • Comentários no Blogger
  • Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Item Reviewed: Escola Bíblica Dominical: A importância da perseverança Rating: 5 Reviewed By: Oedimar Oliveira