Escola Bíblica Dominical: Deus é o Criador e se relaciona - Se Liga na Informação



Escola Bíblica Dominical: Deus é o Criador e se relaciona

Compartilhar isso
Texto Áureo
"E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?", Gn 3.9

Verdade Aplicada
O Senhor Deus não apenas criou todas as coisas, mas, também sustenta as obras da Sua criação, se revelou ao ser humano e quer se relacionar com ele.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Sl 139.1-6
1 - SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
2 - Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
3 - Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
4 - Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó Senhor, tudo conheces.
5 - Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão.
6 - Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir.
Introdução
Convictos da existência de Deus, perguntamos: o Criador se revelou e continua agindo e se relacionando com seres humanos? Nesta lição estudaremos alguns termos teológicos, a favor e contra, sobre a ação de Deus na natureza e Sua interação com os homens.
1. Deísmo
Deísmo é a denominação genérica dada às doutrinas filosóficas e religiosas, que afirmam a existência de "deus" como exigência da razão, independentemente de qualquer revelação, porém, ele não intervém no mundo, mas é exclusivamente transcendente.  O deísmo afirma que a responsabilidade desse "deus" em relação ao mundo é unicamente a de lhe haver dado leis: uma vez realizado o ato da criação, não se ocupa do mundo, abandonando às suas próprias leis físicas. Portanto, um "deus" alheio a tudo que criou. Há vários motivos para rejeitar o deísmo.

1.1. Deus abandonaria Sua criação? 
Se formarmos determinado conceito no tocante a Deus, devemos considerá-Lo como Infinitamente Poderoso e Infinitamente Bom. Não nos é permitido atribuir impotência ou maldade Àquele por quem tudo o que existe foi feito, e a quem todos os seres devem sua existência. É, precisamente, na benevolência de Deus e nas necessidades do homem que encontramos a razão de uma revelação. Deus, certamente, não abandonaria o homem, deixando de dar-lhe toda luz de que precisa para sua vida e sua felicidade.

1.2. A existência de seres morais
Deus é a origem de todas as ideias morais, como também do todos os valores humanos; Ele é quem preserva todos o valor e a dignidade humana; é o Juiz de todas as Suas criaturas inteligentes, morais, que as recompensa ou pune, de conformidade com a retidão ou a maldade de suas ações. É imperiosa a manifestação, clara, inequívoca e definitiva, da parte de Deus para com este ser chamado homem.
1.3. A existência de seres inteligentes
Os seres irracionais não necessitam e, tampouco, têm capacidade de receber e entender uma revelação divina. No entanto, ao homem: um ser capaz de pecar e sentir os sofrimentos; que recebeu a faculdade de livre arbítrio; com possibilidades reais de fracassar ou de ter êxito; é inexorável uma revelação especial. Se o homem, imagem e semelhança de Deus, ficasse desprovido de tal revelação, estaria sem direção. Desde o princípio Deus, de forma clara e direta, deu orientações ao homem, conforme registrado no livro de Gênesis (Gn 2.4-25).

2. Panteísmo 
O panteísmo admite a existência de "deus", que está dentro do mundo e identifica-se com ele. Afirma que tudo quanto existe é "deus" e "deus" é tudo quanto existe. Segundo o panteísmo, não existe qualquer deus pessoal, não existe qualquer inteligência superior, distinta da criação, em qualquer sentido absoluto, como se "deus" possuidor de uma natureza diferente de tudo. Todas as coisas têm uma mesma essência de "deus", não havendo qualquer distinção, entre "deus" e a criação, no que diz respeito à essência ou substância. Refutam a necessidade de uma revelação aos homens, pois afirmam que Deus não pode ser conhecido intelectualmente. Estes ensinos também rejeitamos.
2.1. Deus é inteligente e produziu estados conscientes
O panteísmo afirma que "Deus é incognoscível de maneira intelectual". Ora, se não pode ser entendido de maneira intelectual, por que existem seres dotados de inteligência?  É racional e lógico aceitar que Deus utilize a faculdade mental dos homens (capaz de conhecer, compreender e aprender) para se comunicar com Suas criaturas.

2.2. Deus onipresente
Não se pode confundir o panteísmo com a Onipresença (Deus está em todo lugar), um dos atributos de Deus. O conceito bíblico da Onipresença de Deus está fundamentado na assertiva de que não existe lugar na Terra ou fora dela que Deus não esteja presente, conforme declarou o salmista (Sl 139). Diferente do que afirma o panteísmo, que funde criatura e criador.


2.3. O Criador é distinto da Sua criatura
Os elementos da natureza e os seres não podem ser a representação ou materialização de um Ser Inteligente e Eterno. O decadente Universo, ou seja, o conjunto de todas as coisas que existem não pode ser confundido com o Deus Criador. O perecível não pode fundir com o Eterno, pois são incompatíveis.

3. Teísmo
 O teísmo assevera que existe um Deus pessoal que está além do Universo, porém age no mesmo. Deus existe além e dentro do mundo. Para os teístas, Deus é independentemente do mundo, mas governa todas as partes do mundo como Causa Sustentadora. O cosmos foi criado por Deus e é conservado por Ele.

3.1. Teísmo cristão e a pessoa de Deus
O teísmo cristão acredita na forma trinitária de monoteísmo: Deus tem três centros de personalidade, numa unidade monoteísta perfeita, chamada Trindade. Em Gênesis 1.1, no hebraico, idioma utilizado para escrever o Antigo Testamento, vemos. "No princípio criou Deus (Elohim) os céus e a terra". A palavra "Elohim" é o plural  da palavra "Eloha". Ou seja, o primeiro versículo da Bíblia, temos a configuração do Deus Trino. Qual a justificativa para a ausência do termo "Trindade" nos registros do Antigo Testamento? Os judeus estavam saindo do Egito, uma nação politeísta, e tinham dificuldades para entender a doutrina da Trindade. Deus foi, aos poucos, revelando essa verdade, como pode ser observada nos seguintes textos bíblicos: Gênesis 1.26 "Façamos o homem", note a colocação do plural; Gênesis 3.22 "como um de nós"; Gênesis 11.7 "desçamos e confundamos"; Isaías 6.8 "quem há de ir por nós?". Deus se fez conhecido através destes e de outros textos bíblicos, como sendo um Deus Único (Dt 6.4), em três Pessoas: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo (2Co 13.13).

3.2. Teísmo cristão e o ser humano
Para o teísmo cristão, a humanidade teve um princípio no tempo. O homem foi feito à imagem de Deus. Afirma que a raça humana foi criada para ser imortal. Acredita que o homem tem liberdade (livre arbítrio) e é um ser moral e necessita de uma revelação especial da parte de Deus.

3.3. Teísmo cristão e a revelação de Deus aos homens
Para o teísmo cristão, tanto a Bíblia (revelação especial) quanto a natureza (revelação geral), são revelações de Deus aos homens. Essas duas se complementam, pois, diante da criação de Deus, ninguém é indesculpável (Rm 1.20) e as Escrituras Sagradas nos dizem o que devemos fazer em relação a este Deus (At 16.30-31).
CONCLUSÃO
A Bíblia afirma que Deus, além de criar todas as coisas, sustenta e renova a criação (Sl 104.24, 30; At 17.24-25), Sua existência independe da criação (Sl 90.2) e fez o ser humano para que se relacione com Ele, revelando, para tanto, Sua vontade e enviando Jesus Cristo para promover a reconciliação (Is 43.7,21; 60.21; 2Co 5.18-19). Portanto, tanto o deísmo como o panteísmo, e tantos outros "ismos", não correspondem à revelação dada pelo próprio Deus.

QUESTIONÁRIO

1. Para o deísmo, Deus tem alguma relação com a sua criação?
2. Pela existência de seres morais, o que é de se esperar da parte de Deus?
3. O que afirma o panteísmo sobre o tipo de relação de Deus com sua criação?
4. O que o que o panteísmo funde?
5. Diante da criação de Deus, quem é indesculpável?

Fonte: Revista Betel

AJUDE ESSA OBRA! CLIQUE EM NOSSOS ANÚNCIOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário