PORQUE DEUS PERMITIU O PECADO? - Se Liga na Informação




Lição 17

Gênesis 3:6

I. INTRODUÇÃO


A. O problema do pecado é óbvio do ponto de vista do homem, pois Adão voluntariamente desobedeceu a Deus. Mas, do aspecto divino, o problema do pecado é muito mais complexo, pois porque um Deus onipotente, santo, justo e amoroso permitiria que o pecado entrasse em Sua criação?


B. A origem do pecado é realmente inexplicável. É um mistério e inescrutável para a mente humana. Nenhum humano, deste lado da glória, jamais compreenderá totalmente o problema do pecado. O cristão pode contemplar porque Deus permitiu o pecado, mas além disso o assunto é incompreensível e deve ser deixado nas mãos de Deus. A resposta final é bem afirmada por Lutero, que disse: "Isso é tão alto que nenhuma outra resposta pode ser dada, que isso agradou a Deus".



C. O problema do pecado remonta a Adão e Eva, e o que se aplica a eles se aplica ao problema do pecado em geral.

II. OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE O PECADO


A. Deus é e o pecado é; portanto, o pecado deve fazer parte do plano, pois Deus não pode ser separado de nenhuma parte do Seu plano, pois Ele é soberano. Se Ele é separado, não é soberano e, se não é soberano, não é Deus.


B. A Bíblia sempre coloca a responsabilidade pelo pecado no homem, nunca em Deus. O homem em sua experiência sempre reconhece isso.


C. Deus odeia o pecado, mesmo que esteja incluído no plano.

III. CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER


A. “Desde toda a eternidade, Deus, pelo muito sábio e santo conselho da Sua própria vontade, ordenou livre e inalteravelmente tudo quanto acontece (Efésios 1:11; Romanos 11:33; Hebreus 6:17; Romanos 9:13-14): porém de modo que nem Deus é o autor do pecado (Tiago 1:13,17; 1 João 1:5), nem violentada é a vontade da criatura, nem é tirada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas”(Atos 2:23; Mateus 17:12; Atos 4:27-28; João 19:11; Provérbios 16:33).


B. “Ainda que Deus sabe tudo quanto pode ou há de acontecer em todas as circunstâncias imagináveis (Atos 14:10; 1 Samuel 23:11-12; Mateus 11:21-23); Ele não decreta coisa alguma por havê-la previsto como futura, ou como coisa que havia de acontecer em tais e tais condições”(Romanos 9:11,13,16,18).

IV. A PERMISSÃO DO PECADO


A. Deus, em Sua onisciência, sabia que Adão e Eva pecariam e poderia ter evitado, visto que Ele é onipotente, mas não o fez.


B. Cristo foi um cordeiro predestinado antes da fundação do mundo para o pecado (1 Pedro 1:20). Portanto, concluímos que Deus sabia sobre o primeiro pecado, porque Ele fez provisões para ele no passado eterno.



C. Deus, sendo perfeito e santo, não pode cometer nenhum ato de pecado. No entanto, de alguma forma, o pecado está incluído no plano de que o homem é sempre responsável por ele e, no entanto, Deus sempre tem controle sobre ele.



D. Deus quis permitir, mas Ele não é, de modo algum, a causa imputável, pois foram Adão e Eva quem pecaram, não Deus. Deus, com permissão, desejou a possibilidade do pecado. O próprio fato de que Ele permitiu que acontecesse e não o impedisse, mostra que Ele desejou sua permissão.



NOTA: Deus assume a responsabilidade pela inclusão do pecado em Seu plano. Deus não está evitando esse relacionamento. No entanto, Deus não assume a responsabilidade direta pelo pecado. Quando Deus escolheu incluir o pecado em Seu plano, Ele entrou em um certo relacionamento com esse pecado de tal maneira que o homem ainda é considerado responsável.



E. Quando Deus quis permitir o pecado, isso permitiu que Ele fosse soberano sobre o pecado e, no entanto, não fosse o autor dele. Deus é o governador do pecado, pois Ele determina seu exercício e regula seus limites com permissão (Salmo 76:10). Ele não é o inspirador nem o infusor do pecado em nenhuma de Suas criaturas, mas ele é seu mestre, com isso queremos dizer que a administração de Deus dos ímpios é tão completa que eles nada podem fazer senão o que Sua mão e conselho, desde a eternidade, determinado deve ser feito.



F. Quando Deus quis permitir o pecado, Ele também preservou a responsabilidade do homem (vontade de escolher o bem ou o mal). O decreto permissivo apenas faz de Deus o autor de agentes morais livres, que são os próprios autores do pecado. O homem não é uma máquina sem vontade ou um fantoche sem escolha ou um animal sem responsabilidade moral. A nobreza do homem exige que ele seja um agente moral livre sob a soberania de Deus.



G. A inclusão do pecado no plano de Deus é o melhor plano e isso trará a maior glória a Deus.

V. OPINIÕES SOBRE A PERMISSÃO DA QUEDA DE ADÃO

A. Arminiano (livre arbítrio): Alguns arminianos dizem que Deus sabia da queda de Adão, mas não podia fazer nada a respeito, pois Deus nunca pode anular o livre arbítrio do homem. Outra escola de arminianos acha que Deus era um espectador ocioso, sentado em dúvida enquanto Adão caiu e ficou bastante surpreso. Deus foi frustrado pela criatura de Suas mãos.
OBJEÇÕES

1. Se Deus sabia do pecado de Adão e não fez nada a respeito, quando teve o poder de fazê-lo, então ele é Deus sem piedade.

2. Se o pecado de Adão pegou Deus de surpresa, então ele frustrou o plano original de Deus, tornando-o maior que Deus.



B. Calvinista (soberania): A Queda foi predestinada por Deus em Sua vontade permissiva. Em nenhum sentido, foi uma surpresa para Ele e que, depois que ocorreu, Ele não sentiu que havia cometido um erro ao criar o homem.



NOTA: Deus poderia ter impedido a queda, mas não o fez; assim, Deus tinha o propósito de permitir a queda, ordenando-a para Sua própria glória.



1. Deus não obrigou Adão a pecar. Ele simplesmente reteve a graça imerecida e reprimida, que Deus não tinha obrigação de conceder, e deixou o Homem com seu livre arbítrio, e ele escolheu contra Deus. Adão agiu livremente, mas estava sob permissão divina.
2. Possivelmente, uma das razões pelas quais Deus permitiu a Queda foi mostrar o que o livre-arbítrio faria, e então, ao anulá-lo, Ele mostrou o que as bênçãos de Sua graça e os julgamentos de Sua justiça podem fazer.

VI. PORQUE DEUS PERMITE O PECADO?


A. Se não houvesse pecado, Deus não poderia manifestar Sua graça e amor. Se não houvesse pecado, nunca haveria uma cruz.


B. Deus permitiu ao pecado para que os homens pudessem apreciar o bem, em contraste com o mal. Se não conhecêssemos o bem do mal, nunca obedeceríamos ou desobedeceríamos. Seríamos máquinas.



NOTA: O homem foi criado para ter comunhão com Deus e amá-lo. A comunhão forçada não traria glória a Deus. O homem é moralmente responsável diante de Deus.



C. O pecado era um princípio hipotético que sempre existiu e foi permitido manifestar-se para que pudesse ser julgado.

VII. CONCLUSÃO


A. Nossa mente pecaminosa, caída e escravizada não pode começar a compreender as coisas incompreensíveis e insondáveis ​​de Deus e Seus propósitos. Devemos ser humildes e ter a coragem de admitir ignorância.


B. Martinho Lutero disse: “Nos mandamentos e assuntos de Deus, devemos deixar de lado nossa sabedoria e pensar assim: Parece tolice para mim? Então, na verdade, a única razão é que sou um grande tolo que não pode compreender a sabedoria divina”.


Aldenir AraújoAutor: Aldenir Araújo
Servo do Deus altíssimo, pastor, escritor, web design, produtor digital, blogueiro profissional, autor do site "O Pregador" e vários outros projetos na internet. Ama compartilhar experiências e ajudar pessoas a desenvolver o verdadeiro potencial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário







Zattini













































Não deseja mais receber nossas mensagens? Acesse esse link.



























































As ofertas anunciadas neste e-mail são válidas até 25/03/2019 ou enquanto durarem os estoques.



Preços e condições

Preços e condições válidos somente para compra por meio desta mensagem.

Caso haja diferença de preço ou descrição do produto entre este e-mail e o site, a condição válida e praticada será a do site.

Compras feitas com cartões podem ser parceladas em até 10x sem juros, respeitando-se o valor da parcela mínima de R$ 25,00.



Promoções

As promoções na Zattini não são cumulativas.

As promoções classificadas como "Só Hoje" são válidas somente na data de disparo deste e-mail

Trata-se de um aviso informativo, não significa que você está comprando este produto nem tenha feito uma reserva de compra deste item.

As imagens encontradas no e-mail são meramente ilustrativas.

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, acesse nossa central de relacionamento, escreva para sac@zattini.com.br ou ligue (11) 3028-5353.

Nosso endereço: Rua Vergueiro, 943 - Liberdade - CEP 01504-000 - São Paulo - SP - Brasil







Não deseja mais receber nossas mensagens? Acesse esse link.