O que é o amor? - Vincent Cheung - Se Liga na Informação



O que é o amor? - Vincent Cheung

Compartilhar isso

O amor é popularmente considerado como uma emoção. O principal problema com isso é que a Bíblia não define isso dessa maneira. De fato, se essa definição anti-cristã for usada como princípio operacional, aniquilaria a realidade e a estabilidade inerentes à ideia bíblica.

"ame seu próximo como você" significa "ter esse sentimento afetuoso em relação ao seu próximo, assim como você tem esse sentimento sobre você"? Feito! Mas isso não significa necessariamente que eu levantei um dedo para ajudá-lo, mesmo que ele tenha fome ou se afogue. A definição pode implicar que eu ajudaria, mas não a compelir essa ação - não é inerente à idéia de uma emoção. A "falar a verdade com amor" significa "falar a verdade com um sentimento carinhoso ou com palavras suaves num tom gentil"? Se assim for, então o que me motiva, o que me obriga, a falar a verdade com esse sentimento ou dessa maneira?"Amar a Deus com todo o seu coração e mente e força" significa "ter esse sentimento carinhoso para com Deus com todo o seu ser?" Feito! Mas isso significa que eu tenho que acreditar nele, obedecê-lo ou confiar em Jesus Cristo?

Se é dito que, embora a emoção não seja o elemento definitivo no amor, é mesmo uma que está incluída na definição de amor, então o que acontece quando não tenho esse sentimento em relação a alguém? Ainda posso agir de uma maneira que Deus ordena? Ainda falo a verdade? Suponha que eu"ame" tanto um amigo - tenha um carinho tão forte para ele - que eu sacrificaria minha vida por ele. Mas e se ele cair em um rio minutos depois de termos uma briga, e ainda estou com raiva dele? Eu o guardo? Há algo em mim naquele momento que eu posso chamar de amor, isso me obrigaria a salvá-lo? A Bíblia diz: "O amor nunca falha" (1 Coríntios 13: 8), mas se isso não é confiável, é algo que falha constantemente. Seríamos melhores com a lei.

Se é admitido que a emoção não é necessária para amar, mas que é apenas uma parte da definição, o mesmo problema permanece. Quando não é necessário? Se às vezes é necessário, permanece tão pouco confiável e imprevisível. Se nunca for necessário, isso significa que não é realmente parte da definição. Se a emoção nunca é necessária para amar, nunca é parte da definição. Em vez disso, o sentimento de carinho é acessório ao amor. Existe uma correlação, mas não uma relação necessária ou proporcionada.

A Bíblia retrata o amor como uma disposição benevolente que resulta na expressão correspondente ou ação. Os padrões que definem a benevolência e as ações que correspondem a ela são revelados por Deus na Escritura. Estes são explícitos e inflexíveis, de modo que o verdadeiro amor é sempre confiável. Pode ou não ser acompanhada por uma emoção de carinho. Aquele que ama opera por princípios, não por sentimentos. Ele salvará seu amigo, mesmo que esteja totalmente mortificado. Ele vai resgatar seu inimigo, mesmo que ele não tenha bons sentimentos em relação a ele. Assim, o amor expulsa o medo, a dúvida, o preconceito não bíblico, a divisão injustificada e todas as coisas básicas e más. À luz disso, a ideia popular de amor parece totalmente inferior e indigna, embora mesmo os cristãos a favorecem. É preferível porque é mais fácil, já que é apenas o "amor" dos brutos.

Paulo escreve que o amor é o resumo e o cumprimento da lei (Romanos 13: 9-10). Em outras palavras, o amor permite que uma pessoa apreenda a lei e faça o que diz. E quando Paulo diz isso, ele fornece exemplos explícitos sobre o que o amor resume e cumpre: "Não cometer adultério", "Não assassinar", "Não roubar", "Não cobiça", e ele acrescenta, "e qualquer outro mandamento ". Assim, o amor não é um substituto das leis e dos mandamentos de Deus; Em vez disso, garante que os levamos de um só gole e fizemos tudo o que eles dizem.

Aquele que ama não comete adultério, não matará, não roubará, e assim por diante. Além disso, duas pessoas não podem se engajar em adultério, homossexualidade ou similares, e afirmam fazê-lo fora de amor um pelo outro. Por definição, essas ações são contrárias ao amor, porque são contrárias às leis de Deus.

O amor é um resumo dessas leis, e essas leis são aspectos específicos ou implicações do amor. Assim como a lei é independente das emoções, embora nossas emoções correspondam à lei, o amor é independente das emoções, embora nossas emoções possam corresponder ao amor. Então, a Bíblia diz: "A mente pecaminosa é hostil a Deus. Não se submete à lei de Deus, nem pode fazê-lo "(Romanos 8: 7). 
Uma vez que o amor é uma disposição que resulta no cumprimento da lei - o cumprimento da lei - isso significa que os não-cristãos nunca podem possuí-la ou exercê-la, mesmo que sejam tão dominados por emoções que sangram de cada orifício em suas corpos. Uma pessoa só pode se apaixonar depois de ter sido convertida interiormente pela graciosa ação de Deus, e essa mudança é evidenciada pela fé em Jesus Cristo.


Tradução: Edu Marques

Nenhum comentário:

Postar um comentário