Escola Bíblica Dominical: A Igreja e sua influência na sociedade - Se Liga na Informação



Escola Bíblica Dominical: A Igreja e sua influência na sociedade

Compartilhar isso
Texto Áureo
"Dizem-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.", Mt 22.21

Verdade Aplicada
Como cidadãos do Reino de Deus e representantes de Cristo, devemos, através de uma vida honesta e irrepreensível, ser exemplos de cidadania e civismo.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Rm 13.1-4
1 - Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus.
2 - Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.
3 - Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a potestade? Faze o bem, e terás louvor dela.
4 - Porque ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus, e vingador para castigar o que faz o mal.

Introdução
 A Igreja tem o poder de influenciar a sociedade através do modelo de valores que possui. Uma Igreja dinâmica e proativa, que vive e testemunha os ensinamentos de Jesus, pode mudar uma nação.

1. A Igreja e o Estado
A submissão ao Estado, de acordo com os parâmetros divinos, é agradável a Deus. Devemos, como cidadãos do Reino de Deus, ser exemplos de cidadãos aqui na terra.

1.1. A Igreja Primitiva e o Império Romano
A Igreja de Cristo nasceu debaixo da égide do Império Romano. O apóstolo Paulo escreveu uma carta para a igreja em Roma. A Carta aos Romanos era uma explicação da obra de Cristo para as igrejas gentias que vieram à existência independente de Paulo. O apóstolo nos dá algumas indicações de como o cristão deveria se portar diante do governo. O cristão deve ser obediente à leis e se submeter às autoridades (Rm 13.1-7). Também deve orar pelos governantes (1 Tm 2.1-2) para que possam pregar o Evangelho.

1.2. A Deus e a César
César era o título do imperador romano e chefe do Estado. O texto de Mateus 22.15-22 nos mostra os herodianos, membros do partido que apoiavam a dinastia de Herodes e que eram a favor do Império, tentando colocar Jesus em uma má situação. A pergunta era uma cilada para expor o Mestre. Ao responder a indagação, Jesus diz: "Dai, pois, a César", nos ensinando que devemos nos submeter aos magistrados civis, desde que não estejamos contra aquilo que é propriamente de Deus.

1.3. Cidadania
O cristão não deve se alienar de suas responsabilidades e de sua cidadania terrestre. O apóstolo Paulo diz que nós somos embaixadores de Cristo: "De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconciliei com Deus."(2Co 5.20). Um embaixador tem como missão representar um rei ou um reino, ou governo. Sendo assim, como embaixadores de Cristo, representamos o Reino de Deus aqui na terra. Entretanto, isso não nos exime de nossas responsabilidades aqui na terra. Portanto,possuímos duas cidadanias, a saber, a nossa pátria terrestre e a celestial, a Nova Jerusalém.

2. Responsabilidade social
Jesus resumiu os mandamentos em dois: amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como nós mesmo. Cuidar do outo é uma responsabilidade que deve ser vivida na igreja (Mt 22.37-40; Rm 12.20).

2.1. A crítica social no Antigo Testamento
Já no Antigo Testamento os profetas denunciavam a omissão às responsabilidades sociais do povo junto aos necessitados. Todas as advertências dos profetas pressupõem uma posição especial dos israelitas diante de Deus, pois, dessa relação deveria resultar um determinado comportamento. Com isso, uma das exigências é um comportamento moralmente íntegro. A crítica social e a crítica ao culto são os dois lados de uma mesma moeda. A comunicação correta com Deus foi abalada pela injustiça social ou por um culto sem sentido, assim como os profetas denunciaram (Is 5.7; 58.6-7; Am 4.1). O Deus de Israel se apresenta como o Deus das viúvas, dos órfãos e dos peregrinos: "Pois o Senhor, vosso Deus, é o Deus dos deuses e Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas; que faz justiça ao órfão e à viúva e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e vestido." (Dt 10.17-18).

2.2. A responsabilidade social da Igreja Primitiva A instituição dos primeiros diáconos (At 6.1-7) foi uma forma que a Igreja Primitiva utilizou para cuidar dos mais necessitados e supervisionar a distribuição das ofertas, retiradas do fundo comum para os membros mais pobres da comunidade. A demanda nasceu devido ao fato de que, no início, a Igreja atraíra judeus helenistas, isto é, judeus de fala grega, de fora da Palestina e judeus naturais da Palestina, que falavam aramaico. Não tardou para que se levantassem queixas de que as viúvas destes últimos estavam sendo favorecidas na distribuição diária. 


2.3. A missão integral
O cristianismo é maior do que qualquer cultura. Assim como afirma Paul Tillich, a verdade imutável do cristianismo utiliza a cultura, através do idioma, história e símbolos, como meios para apresentar o Evangelho. Entender que o ser humano é um ser tricotômico (corpo, alma e espírito) não significa entender que este pode ser tratado como um ser fragmentado, mas, sim, deve ser tratado como um ser integral, que possui corpo, alma e espírito de forma coesa. O apóstolo Tiago afirmou: "E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?", (Tg 2.16). Nossa missão deve ser integral. Deus não salva somente nossa alma, mas, sim, todo o nosso ser: corpo, alma e espírito (1Co 15.53-54).

3. Vivendo segundo os valores do Reino
Não devemos pregar somente com palavras, mas também com um vida pautada pela Palavra de Deus, sendo sal da terra e luz do mundo (Mt 5.13-16).


3.1. A família e a Igreja
A família é a primeira instituição estabelecida por Deus. Ela é a base de toda a sociedade. Entretanto, os "progressistas" tem atacado o modelo da família tradicional, apresentando novas configurações de família. É de extrema importância a Igreja não esquecer o cuidado com à família, pois esta tem sido ultimamente bombardeada pelo diabo.  Outro fato importante a salientar é que a responsabilidade do discípulo de Cristo de cuidar do outro começa em casa, antes de ser estendida à igreja local (1Tm 3.5; 5.8).

3.2. Princípios morais
Diferentemente dos valores mundanos, quando o cristão estabelece uma família, este não faz buscando egoisticamente a sua felicidade. Paulo e Pedro estabelecem os valores básicos da família cristã. Portanto, a Igreja não pode ficar indiferente à inversão de papeis de homens e mulheres revelados pelo Espírito Santo nas Escrituras, as quais estão acima da ideologia de gênero e da cultura pós-moderna do relativismo. O dever do marido é amar a esposa como Cristo amou a Igreja (Ef 5.25), e a esposa ser submissa ao marido (1Pe 3.1). A ordenança é amar com o amor ágape, o amor de auto sacrifício e de valorização do outro, ou seja, o esposo cristão não casa ou estabelece família para ser feliz, e sim, para fazer o cônjuge feliz, da mesma forma, a mulher cristã está na mesma missão que o esposo, em fazê-lo feliz.


3.3. Coerência entre fé e prática
O grande desafio é viver a ética do Reino de Deus em sua totalidade, e sua maior exigência é o amor. Entretanto, o amor não se corrompe nem se vende, o amor que vem de Deus é uma auto entrega de si mesmo. Ele é vivido na prática e não somente através de palavras, como afirma Tiago: "E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.", (Tg 1.22). É preciso sempre lembrar que Jesus Cristo inicia Suas últimas instruções aos discípulos afirmando que todos conhecerão os que são Seus discípulos pelo amor de uns aos outros (Jo 13.35). Tal marca somente será possível pela ação do Espírito Santo na vida daqueles que nasceram de novo. Não apenas nascer do Espírito, mas andar em Espírito (Gn 5.16, 22, 25).

Conclusão
Enquanto a igreja não for arrebatada, nó, como povo de Deus, devemos viver uma vida piedosa, sendo bons cidadãos, honestos e responsáveis, cuidando do próximo, vivendo o amor apresentado por Deus em Jesus e não se rendendo à corrupção deste mundo e nem ao relativismo, mas prosseguir guardando "o bom depósito pelo Espírito Santo" (2Tm 1.14).

Questionário 

1. O que o texto de Mateus 22.15-22 nos mostra?

2. O que foi a instituição dos primeiros diáconos?

3. Onde começa a responsabilidades do discípulo de Cristo de cuidar do outro?

4. Qual é o dever do marido?

5. O que Tiago afirma sobre o amor?

Fonte: Revista Betel

AJUDE ESSA OBRA! CLIQUE EM NOSSOS ANÚNCIOS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário







Zattini













































Não deseja mais receber nossas mensagens? Acesse esse link.



























































As ofertas anunciadas neste e-mail são válidas até 25/03/2019 ou enquanto durarem os estoques.



Preços e condições

Preços e condições válidos somente para compra por meio desta mensagem.

Caso haja diferença de preço ou descrição do produto entre este e-mail e o site, a condição válida e praticada será a do site.

Compras feitas com cartões podem ser parceladas em até 10x sem juros, respeitando-se o valor da parcela mínima de R$ 25,00.



Promoções

As promoções na Zattini não são cumulativas.

As promoções classificadas como "Só Hoje" são válidas somente na data de disparo deste e-mail

Trata-se de um aviso informativo, não significa que você está comprando este produto nem tenha feito uma reserva de compra deste item.

As imagens encontradas no e-mail são meramente ilustrativas.

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, acesse nossa central de relacionamento, escreva para sac@zattini.com.br ou ligue (11) 3028-5353.

Nosso endereço: Rua Vergueiro, 943 - Liberdade - CEP 01504-000 - São Paulo - SP - Brasil







Não deseja mais receber nossas mensagens? Acesse esse link.