Jesus era rico? - Se Liga na Informação






Você escreveu dizendo que viu algo no site do History Channel que afirma que Jesus não era pobre, mas era muito rico. Ali diz: "Jesus não era pobre: pelo contrário, sua árvore genealógica chega até a dinastia de Davi, um dos homens mais ricos da história bíblica.".




Sabe o que são mil anos? Eu poderia buscar na minha genealogia e não acharia um ancestral que tenha vivido há mil anos, mas supondo que eu encontrasse e ele tivesse sido um rei, será que isso me faria rico? Mil anos! Será que quem escreveu isso sabe o que significam mil anos? Como eu nasci em 1955 procurei na Wikipedia os acontecimentos históricos daquele ano e não encontrei nenhum rei com meu sobrenome.


De vez em quando alguém me manda um email dizendo que um parente distante deixou uma herança, talvez você já tenha recebido alguma tentativa de golpe assim. Agora imagine você receber um email dizendo que um parente seu foi rei há mil anos e deixou uma herança! Você acreditaria


Se José fosse rico não seria um carpinteiro e se Jesus fosse rico não teria sido carpinteiro como José. Jesus era pobre ao vir ao mundo, embora tivesse sido muito rico antes. "Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis." (2 Co 8:9). O versículo fala do lugar que o Senhor deixou na glória, e não existe riqueza que se compare àquilo. Mas ainda assim ele deixou tudo para se fazer pobre e vir ao mundo na qualidade de um servo.


"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai." (Fp 2:5-11).


Mas essa lenda de que Jesus era muito rico é pregada também em muitas igrejas, e ouvi dizer de um pastor que alega que Jesus era tão rico que tinha até casa na praia, porque algumas vezes ele aparece pregando junto ao mar.


A verdade é que quando o pentecostalismo surgiu no final do século 19 sua mensagem de curas e milagres alcançavam a população mais pobre dos Estados Unidos, e isso continuou até o princípio do século 20. O problema é que as promessas de curas e milagres feitas por pregadores tão pobres quanto suas audiências começou a produzir muitas ofertas, e logo os pregadores pentecostais ficaram ricos.



Se pesquisar a história do pentecostalismo verá pregadores que começaram a se vestir com ternos bordados com lantejoulas, morando em mansões e dirigindo carrões. Foi aí que a mensagem deixou de ser apenas de curas e milagres do corpo e passaram a ser de milagres das finanças. Os pregadores precisavam justificar toda aquela riqueza e aí diziam que era Deus abençoando e que se os seus seguidores investissem naquela obra seriam igualmente abençoados.




Foi assim que nasceu o evangelho da prosperidade, e para fundamentar isso passaram a buscar no Antigo Testamento as promessas que Deus fez a Israel, não à Igreja, de dominar o mundo e possuir grandes riquezas. No Brasil essa onda chegou mais tarde, porque mesmo os pentecostais brasileiros se lembram de que as pregações, geralmente feitas em tendas pois não tinham dinheiro nem para construir templos, nada tinham a ver com promessas de prosperidade.


Mas voltando à questão da pobreza dos pais de Jesus, se você ler o Antigo Testamento verá que o sacrifício que era feito para a purificação da mulher que tivesse dado à luz incluía uma cláusula para os mais pobres dentre os israelitas, que não pudessem comprar um animal para o sacrifício:


"E, quando forem cumpridos os dias da sua purificação por filho ou por filha, trará um cordeiro de um ano por holocausto, e um pombinho ou uma rola para expiação do pecado, diante da porta da tenda da congregação, ao sacerdote. O qual o oferecerá perante o SENHOR, e por ela fará propiciação; e será limpa do fluxo do seu sangue; esta é a lei da que der à luz menino ou menina. Mas, se em sua mão não houver recursos para um cordeiro, então tomará duas rolas, ou dois pombinhos, um para o holocausto e outro para a propiciação do pecado; assim o sacerdote por ela fará expiação, e será limpa." (Lv 12:6-8). 


O Evangelho de Lucas dá uma espécie de "Atestado de Pobreza" para José e Maria ao dizer: "E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor (Segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo o macho primogênito será consagrado ao Senhor); e para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: Um par de rolas ou dois pombinhos." (Lc 2:22-24). Isto bastaria para você considerar mentiroso qualquer pregador que disser que José e Maria, e consequentemente Jesus, eram ricos neste mundo.


Você irá concordar que não devia ser rico alguém que precisava ser mantido por mulheres de posses ou que emprestasse as coisas de que necessitava em alguns momentos de sua vida aqui. "E algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios; e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o serviam com seus bens." (Lc 8:2-3).


Jesus emprestou barcos dos discípulos pescadores para viajar ou usar de púlpito, a casa de Lázaro e suas irmãs Marta e Maria para se hospedar, peixes e pães de um garoto para multiplicar, um jumentinho para entrar em Jerusalém, um cenáculo onde celebrar a Páscoa com seus discípulos, ou mesmo um túmulo para ser sepultado. Ao morrer deixou apenas a roupa do corpo.


Não há dúvidas de que havia pessoas ricas entre seus discípulos, como as mulheres que o acompanhavam e outros, como José de Arimateia e Nicodemos. Mas ao longo dos evangelhos, de Atos e das cartas vemos que os mais ricos costumavam ajudar a grande maioria de convertidos que eram pobres ou tinham ficado pobres por causa da perseguição.


Se você tivesse sido um judeu vivendo na Alemanha nos anos 1940 e precisasse fugir só com a roupa do corpo para escapar à perseguição nazista saberia o que era viver como cristão no primeiro século. Os primeiros cristãos perdiam tudo: profissão, bens, casas, e às vezes a própria vida, por causa da perseguição. Suas filhas e esposas eram traficadas como escravas sexuais para as colônias romanas e os homens mais fortes transformados em gladiadores para se apresentarem nos circos, ou transformados em comida para as feras.


Tenha essa imagem em sua mente quando algum pregador disser a você que Jesus e os primeiros cristãos eram ricos. Você saberá que ele é apenas mais um enganador, como muitos existentes hoje nos púlpitos das igrejas.


por Mario Persona 



Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário