Pastores e pregadores, sejam humildes: “o único especial é Cristo” - Se Liga na Informação



Pastores e pregadores, sejam humildes: “o único especial é Cristo”

Compartilhar isso
"Se esforçam por apresentar-se a si mesmos como pessoas especiais, quando em verdade o único especial é Cristo"




O pastor e conferencista Geziel Gomes é um dos líderes evangélicos mais respeitados do país e seu ministério há anos influencia obreiros, pastores e demais lideranças cristãs no Brasil e no exterior. Nas redes sociais, tem aconselhado aos que o seguem por meio de textos que falam de Cristo e de sua obra.
No mais recente, o pastor lembra à liderança que mesmo tendo uma posição de destaque no cristianismo, Paulo jamais “se achou” mais que os outros irmãos. E tal postura deve ser seguida pelos pastores, obreiros e pregadores atuais.
Se esquivou totalmente de qualquer sentimento de jactância ou orgulho pessoal, ou de falta de humildade, pelo que sempre se apressava em oferecer todo o crédito de seu trabalho ao próprio Deus“, diz, sobre Paulo.
Há, infelizmente, entre nós, uma geração de líderes e pregadores que se aproveitam dos dons de Deus para usufruírem da glória que a eles não é devida, mas sim a Deus. Gostam dos elogios, amam os afagos, são apaixonados pelo “altar”, o lugar de destaque.
A intenção de Geziel Gomes, não é criticá-los, mas, como pastor, adverti-los do perigo que correm, pois Deus não divide sua glória com ninguém.
Esses, “se esforçam por apresentar-se a si mesmos como pessoas especiais, quando em verdade o único especial é Cristo, o qual por Sua divina benevolência houve por bem fazer de Sua Igreja um povo especial, Tt 2.14“, adverte o teólogo.
Confira a íntegra:
APRENDENDO COM O APÓSTOLO PAULO
O trabalhar de Deus na vida do apóstolo Paulo oferece a oportunidade de avaliarmos, a infinita capacidade de Deus ao transformar vidas.
Antes de se encontrar com o Senhor no caminho de Damasco, Paulo havia dedicado todas as suas energias na tarefa de perseguir a emergente Igreja do Senhor Jesus, e não hesitava em prender e fazer sofrer os novos cristãos, os quais odiava com um impressionante zelo farisaico.

Havendo Deus mudado o rumo de sua vida, passou a conhecer os mistérios da Graça, um de seus temas favoritos, I Co 15.10. A transformação operada em sua vida foi tão radical que de imediato começou a canalizar a mesma fonte de energia a fim de servir à Causa de Cristo.
Todos os leitores dos escritos de Paulo percebem que ele reconhecia que sua vida, sua fé e seu trabalho eram um produto direto da Graça de Deus e isto se torna cada vez mais patente em seus escritos, visto que neles se esquivou totalmente de qualquer sentimento de jactância ou orgulho pessoal, ou de falta de humildade, pelo que sempre se apressava em oferecer todo o crédito de seu trabalho ao próprio Deus.
Tal postura deveria ser seguida pelos líderes, obreiros e pregadores de nosso tempo, muitos dos quais se esforçam por apresentar-se a si mesmos como pessoas especiais, quando em verdade o único especial é Cristo, o qual por Sua divina benevolência houve por bem fazer de Sua Igreja um povo especial, Tt 2.14.
O Deus de Paulo continua sendo o nosso Deus e isto nos anima, inspira e entusiasma a prosseguirmos, sem olharmos para as adversidades, sem nos deixarmos abater diante daqueles que não nos compreendem e sem dar atenção aos muitos ataques do Adversário de nossas almas.
Que Deus nos conceda a graça, a visão, a fidelidade, a sabedoria, o destemor, a paciência e a humildade necessários para sermos obreiros aprovados como Paulo, que combateu o bom combate, acabou a carreira e guardou a fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário