Escola Bíblica Dominical: As Bênçãos de Deus para o Homem - Se Liga na Informação


Escola Bíblica Dominical: As Bênçãos de Deus para o Homem

Compartilhar isso
TEXTO ÁUREO

E servireis ao Senhor vosso Deus, 
e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; 
e eu tirarei do meio de vós as
 enfermidades.
Êxodo 23:25



 LIÇÃO 9 - AS BÊNÇÃOS DE DEUS PARA O HOMEM




O que é regeneração?

Não pelas obras de
 justiça que houvéssemos
 feito, mas, segundo a sua
 misericórdia, nos salvou 
pela lavagem da
 regeneração e da 
renovação do Espírito 
Santo.
Tito 3.5

A Concordância de Strong oferece uma elucidação riquíssima do vocábulo renovação como um dos sinônimos de regeneração:

Renovação, anakainosis, no grego. Uma combinação de ana, “de novo” e kainos, “novo”. A palavra sugere uma renovação, restauração, transformação, mudança de interior e de vida. Em Romanos 12.2, ela indica uma mudança completa para melhor, um ajuste da visão moral e espiritual de uma pessoa. Aqui, ela ressalta o trabalho do Espírito Santo em transformar a vida.

A regeneração é realizada somente por Deus, renovando o coração do homem, fazendo-o reviver. Na regeneração, o Senhor age em um ponto fundamental do ser humano, no âmago. Não há uma preparação nem disposição precedente no pecador que solicite ou contribua para a nova vida que lhe é dada por Deus.

A regeneração é uma mudança enérgica. Da mesma forma em que o nascimento físico resulta em um indivíduo entrando na terra, o nascimento espiritual resulta em uma nova pessoa entrando no Reino celestial (Ef 2.6). Com a regeneração passamos a ver, ouvir e buscar as coisas divinas; iniciamos uma vida de fé e santidade. Agora, somos participantes da natureza divina, sendo novas criaturas (2 Co 5.17). Deus é a fonte dessa transformação (Ef 2.1,8). O grande amor de Deus, a Sua graça e misericórdia são a causa do renascimento. O grande poder de Deus é visto na regeneração e na conversão dos pecadores (Ef 1.19,20).

A vida que o homem perdeu na queda é restaurada através da regeneração. Ela é o dom da graça de Deus; é a obra imediata e sobrenatural do Espírito Santo realizada em nós. O seu efeito é fazer com que nós passemos da morte espiritual à vida. A essência da regeneração é a nova vida. A antiga vida do homem é natural, mas a nova vida é sobrenatural, a própria vida de Deus dada ao homem. Ela muda a nossa alma inclinando o nosso coração para Deus. A fé é o fruto da regeneração. A regeneração forma a união inseparável entre a alma regenerada e o Espírito Santo.

Regeneração — mudança de
 natureza
Regenerados pela Palavra e Espírito (Jo 3.5; 1 Pe 1.13)
Passados da morte para a vida (Jo 5.24; Ef 2.12; Cl 2.13)
Mudança de natureza (Ez 36.25-27; Jo 3.3; 2 Co 5.17)

Segundo Watchman Nee, a regeneração dá um novo espírito ao homem, e o seu antigo espírito é vivificado. Porei dentro de vós um espírito novo (Ez 36.26). O que é nascido do Espírito é espírito (Jo 3.6). Nessas passagens o espírito tem em vista a vida de Deus, pois ela é concedida a nós em nossa regeneração. Esta nova vida, ou espírito, pertence a Deus (2 Pe 1.4), e não se pode pecar (1 Jo 3.9); porém, nosso espírito, embora vivificado, ainda pode ser maculado (2 Co 7.1) e necessitar da santificação (1 Ts 5.23).

Quando a vida de Deus (Seu espírito) entra no espírito humano, este é vivificado do seu 
estado de coma. O que estava separado da vida de Deus (Ef 4.18) revive. O corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça (Rm 8.10). Ganhamos em Adão um espírito morto, porém, em Cristo, recebemos, na regeneração, tanto o espírito morto vivificado, como o novo espírito da vida de Deus.

Segundo as Escrituras, a vida de Deus é eterna. A palavra “ vida”, aqui, é zoe, no Grego, e indica a vida superior ou a vida do espírito. Deus, por meio do seu Espírito, livra o homem regenerado de tudo o que pertence à antiga criação, pois no espírito regenerado estão todas as obras de Deus para com ele.

O novo nascimento espiritual

João, conhecido como o apóstolo do amor, registra o encontro de Nicodemos, um homem importante da seita dos fariseus, instruído mestre em Israel e príncipe dos judeus, com Senhor Jesus (Jo 3.18). Naquele tempo, os fariseus perseguiam Jesus desejando encontrar um motivo para prendê-lo e matá-lo. Esta não era a intenção de Nicodemos, pois ele queria respostas acerca dos sinais e milagres operados pelo Senhor Jesus.

Seu espírito ansioso buscava entender o que ele não encontrou nos conhecimentos religiosos. Ele procurava algo que pudesse satisfazer a fome e a sede da sua alma. A resposta do Senhor foi imediata: nascer de novo. Esta é a condição primária para ver e entrar no Reino de Deus, para receber a salvação e a coroa da vida eterna. Esse novo nascimento não é biológico, em sua estrutura física; é de natureza espiritual operado pela ação poderosa do Espírito. 

A verdade do novo nascimento espiritual ministrada pelo Senhor Jesus é um dos fundamentos da fé cristã nos ensinos apostólicos, no Novo Testamento. O apóstolo Paulo, teólogo da Igreja, confirma e reafirma o ensinamento do Senhor Jesus sobre a necessidade indispensável do novo nascimento (Rm 6.4,11; Ef 2.4,5; Cl 3.9-11). Observe a declaração do apóstolo Pedro:

Bendito seja o Deus e 
Pai de nosso Senhor 
Jesus Cristo, que,
 segundo a sua grande 
misericórdia, nos gerou 
de novo para uma viva 
esperança, pela 
ressurreição de Jesus
 Cristo dentre os mortos, 
para uma herança
 incorruptível, 
incontaminável e que se 
não pode murchar, 
guardada nos céus para vós.
1 Pedro 1.3,4

Segundo o teólogo e expositor bíblico, Anthony Hoekema, sobre os aspectos do novo nascimento, a regeneração é o ato de Deus dar vida espiritual a quem está espiritualmente morto. A regeneração é considerada como uma mudança do estado de morte para a vida humana. O regenerado é criado em Cristo, sendo, assim, nova criatura (Ef 2.10; 2 Co 5.17).

Bênçãos do novo nascimento

A Igreja, como corpo de Cristo, é formada de homens e mulheres nascidos de novo que aguardam a vinda do Senhor para o grande dia do arrebatamento, quando ela deixará de ser a Igreja militante para ser a Igreja triunfante. Esta Igreja, como coluna e apoio da verdade, voz profética de Deus através dos séculos, tem em suas fileiras indivíduos que viveram a experiência do novo nascimento. As páginas bíblicas registram as bênçãos maravilhosas que recebem todos os renascidos no espírito (Jo 3.3).

A morte estabelece um estado de imobilismo, inércia e cessação da vida. A ciência diz “interrupção definitiva da vida de um organismo ou fim da vida humana”. Na dimensão espiritual, a morte é a separação de Deus. O espírito do homem, proveniente de Deus, só tem vida real, paz serena e tranquilidade estando em comunhão com o Senhor. A presença do pecado faz desaparecer a comunhão permitindo que a morte espiritual desfaleça o espírito humano (Sl 77.3).

A regeneração, o renascimento, a restauração, o reviver e a ressurreição do espírito compõem o que a teologia cristã denomina o novo nascimento. Segundo a Bíblia, toda pessoa desejosa de ver o Reino de Deus precisa nascer de novo. Sem esta experiência profundamente espiritual ninguém pode alcançar o que Deus tem reservado. A bênção maior é a transferência da morte para a vida. Logo em seguida o ser humano acessa uma fonte inesgotável que jorrará bênçãos incontáveis durante o caminhar terreno. A vida passa a ter um novo sentido, e a essência deste novo existir centraliza-se no caminho, na verdade e na vida abundante na pessoa de Cristo (Jo 14.6).


O espírito do homem na 
Bíblia
Seu espírito (Pv 25.28)
O Senhor […] forma o espírito do homem dentro dele (Zc 12.1)
O espírito do homem que nele está (1 Co 2.11) Meu espírito (1 Co 5.4; 14.14)
Espíritos dos profetas (1 Co 14.32)
Nosso espírito (Rm 8.16)
Aos espíritos dos justos (Hb 12.23)
Aspectos da natureza divina

Geração divina — 1 Pe 1.23

Ser gerado de novo de uma semente divina completamente isenta de corrupção é a primeira bênção como resultado do novo nascimento. Esta semente é a Palavra de Deus viva que permanece para sempre. A gestação espiritual é processada pelo Espírito Santo através desta semente. A semente (Palavra de Deus) não é imortal, é eterna. Algo imortal tem começo e não tem fim; o que é eterno não tem começo nem fim. Assim é a semente incorruptível da Palavra de Deus. Nascer de novo é ser gerado para um novo viver sob os auspícios da natureza de Deus (Mt 4.4).Filiação divina — Jo 1.12Deus ama a todos, mas nem todos são filhos de Deus. Quem pode ter o grande privilégio de ser Seu filho? Somente quem nasce de novo tem direitos legais a uma filiação de natureza divina. Nascer em Deus, ser adotado na família do Senhor é o começo de coisas no vas, grandes e maravilhosas procedentes desta filiação. Todos os nascidos de novo são contemplados com a bênção incomparável — serem filhos de Deus. O Senhor Jesus veio a este mundo cumprir o plano regenerador de Deus a favor dos homens. Tornar a criatura de Deus em filho de Deus. Os ensinos do Senhor Jesus revelam e destacam a pessoa de Deus como um Pai que gera filhos para a Sua glória e louvor (Rm 8.14,15).

Inscrição divina — Is 43.1

O nome de cada pessoa é muito importante. Ter um nome honrado significa poder, prestígio, inspiração e unicidade. Ainda que outras pessoas tenham o mesmo nome que o seu, entretanto, o seu é especial e exclusivo. Todos os que nascem de novo recebem um no me escolhido por Deus, diferente de qualquer outro nome em todas as gerações. Quando alguém nasce espiritualmente os anjos se alegram e uma festa acontece no céu, pois alguém receberá um novo nome. Esta celebração ocorre imediatamente após o novo nascimento. Este nome se torna conhecido por todos os que nasceram de novo, os que têm a visão e os que foram admitidos no Reino de Deus. Chamar alguém pelo nome expressa um sentimento de familiaridade e intimidade. Deus lhe chamará por seu nome como aconteceu a Moisés, Samuel, Elias, Maria etc. Isto é motivo de júbilo e alegria (Lc 10.20).

Identificação divina — 1 Pe 2.9

Após ser gerado, obter a filiação divina, ter um novo nome, o próximo passo de quem é nascido de novo é saber qual é a sua identidade. Esta é uma das principais questões da existência humana. Há uma crise de identidade no mundo em que vivemos. Esta crise vem distorcendo a personalidade de muitas pessoas, e os princípios e valores morais são cada vez mais raros na vida do ser humano. Ao nascer de novo a pessoa descobre qual é a sua identidade, onde ela está, e que faz neste mundo e qual o propósito mais importante da sua vida. Geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido são partes da identidade de todos os que experimentaram o novo nascimento.

Posição divina — 2 Co 5.17

O efeito do pecado foi fulminante na vida do homem causando a morte espiritual. Ele foi rebaixado da posição original de autoridade, poder, sabedoria e excelência que Deus o havia colocado. Ele foi afastado da presença do Senhor perdendo os benefícios que antes usufruíra no jardim do Éden. Fugitivo, escravo do medo, perdido, desorientado e, acima de tudo, morto espiritualmente. Deus agiu e enviou o seu único Filho para buscar e salvar o homem perdido. Aceitando e crendo na obra perfeita realizada pelo Senhor Jesus, o ser humano tem uma mudança imediata de posição.

Das trevas para a luz, da escravidão para a liberdade, da mentira para a verdade, do ódio para o amor, da culpa para o perdão e da perdição para a salvação. Os que nasceram de novo estão completos e perfeitos em Cristo (Cl 2. 6-10).

Compreensão divina — Lc 24.45

O pecado cria um estado de loucura e demência espiritual no corpo, na alma e no espírito do indivíduo. A mente aflita, confusa e atrofiada pela ação maligna do pecado, não percebe o que é certo ou errado. Este quadro muda totalmente quando o homem ou a mulher, ao crerem em Cristo, nascem de novo. A luz brilhante do Espírito de Deus expulsa as trevas iluminando o espírito humano com revelações, esclarecimentos e entendimento no mundo espiritual, no cosmos e nas demais esferas onde vive o homem.

Salvação divina — At 4.12

A mais importante bênção do novo nascimento é a salvação eterna. Os que nascem de novo e vivem fielmente agradando ao Senhor, em obediência aos seus mandamentos, serão recompensados e galardoados com a salvação, ou seja, estando na eternidade usufruindo da felicidade eterna. Ver o Reino de Deus ser admitido nele é a realização plena e sublime da salvação. Arrependimento, confissão, abandono dos pecados, conhecer e crer em Cristo, nascer de novo, pertencer à família de Deus na comunhão com os santos da Igreja, viver fielmente para Deus e cumprir seus propósitos são os fundamentos da bênção da salvação.

Porque a graça de Deus
 se há manifestado,
trazendo salvação a 
todos os homens, 
ensinando-nos que, 
renunciando à 
impiedade e às 
concupiscências
 mundanas, vivamos
 neste presente século 
sóbria, justa e piamente.
Tito 2.11,12



Fatos sobre o espírito 
humano
Perturbado (Gn 41.8)
Revivido (Gn 45.27)
Angustiado (Êx 6.9)
Disposto (Êx 35.21)
Invejoso (Nm 5.14,30)
Endurecido (Dt 2.30)
Triste (1 Sm 1.15)
Agitado (2 Cr 36.22)
Comprometido com Deus (Sl 31.5)
Sem engano (Sl 32.2)
Contrito (Sl 34.18)
Quebrantado (Sl 51.17)
Sobrecarregado (Sl 77.3)
Contumaz (Sl 78.8)
Irritado (Sl 106.33)
Apressado (Pv 14.29)
Altivo (Pv 16.18)
Humilde (Pv 16.19)
Controlado (Pv 16.32)
Ferido (Pv 18.14)
Paciente (Ec 7.9)

Atributos do espírito


Ora, sem fé é impossível 
agradar-lhe, porque é
 necessário que aquele 
que se aproxima de 
Deus creia que ele existe
 e que é galardoador dos
 que o buscam.
Hebreus 11.6

O único acesso a Deus é através da fé gerada no espírito. O intelecto, o poder da inteligência e a força das emoções não podem gerar a fé que agrada a Deus. Unicamente a fé no espírito desvenda a boa, a agradável e perfeita vontade de Deus (Rm 12.2).

Esperança

Porque, em esperança, somos salvos. Ora, a esperança que se vê não é 
esperança; porque o 
que alguém vê, como o 
esperará? Mas, se
esperamos o que não 
vemos, com paciência o esperamos.
Romanos 8.24,25

A espera não é uma tarefa fácil, principalmente a espera por algo invisível. O ser humano almeja um futuro melhor em todas as áreas da vida. A esperança é uma virtude, um atributo exclusivo do espírito. O patriarca Abraão é um exemplo a ser imitado quanto à esperança (Rm 4.18).

Reverência

Pelo que, tendo recebido
 um Reino que não pode 
ser abalado, retenhamos 
a graça, pela qual
 sirvamos a Deus
 agradavelmente com 
reverência e piedade.
Hebreus 12.28

Reverência não é apenas respeito ou demonstração de estima, reconhecimento ou forma de tratamento. Não significa, unicamente, curvar o corpo em saudação a alguém. O significado ultrapassa qualquer liturgia religiosa previamente programada na mente humana. A reverência original provém do espírito, a dimensão mais sagrada do ser humano. Reverenciar é o ato de venerar ou prestar culto a algo sagrado.

É um ato de devoção; reverenciar com adoração. Como seres espirituais, devemos ter intenções, atitudes e ações reverenciais ao Senhor e ao Seu Reino. Reverência é um conjunto de atos de gratidão do espírito humano ao Senhor, em louvor e glórias ao Seu bendito 

Comunhão

O que vimos e ouvimos, 
isso vos anunciamos,
 para que também
 tenhais comunhão 
conosco; e a nossa 
comunhão é com o Pai e 
com seu Filho Jesus
 Cristo.
1 João 1.3

A vida na jornada terrestre e na eternidade só tem verdadeiro significado se a comunhão cumprir o seu papel. A comunhão é um atributo inerente ao espírito humano, sendo a sua importância primária a comunhão com Deus, que é Espírito. O espírito humano, em sua essência, o estimula à comunhão para uma nova revelação da pessoa e do caráter de Deus. Simultaneamente, comunhão significa ter união, paz e harmonia partilhando experiências. O espírito humano regenerado busca desenvolver a comunhão na área espiritual com a oração, a meditação na Palavra de Deus e com a família na fé para crescimento e maturidade (1 Co 1.9).


Adoração

Deus é Espírito, e
 importa que os que o
 adoram o adorem em 
espírito e em verdade.
João 4.24

Este atributo, possivelmente, é o mais importante na existência do espírito humano. Qual é o conceito ou o modelo verdadeiro de adoração a Deus? Uma adoração superficial não é capaz de alcançar o coração de Deus. Adoração ritualista, manifesta em ações da alma, não move o coração divino. Adoração isenta de fé não possui valor prazeroso diante de Deus.

A adoração que toca com amor o mais profundo de Deus é gerada exclusivamente no espírito. O texto bíblico, ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás, destaca a adoração associada ao serviço. A única e legítima adoração a Deus tem lugar e função definidos no espírito do homem (Ne 8.6).

O espírito diferencia

O respeitado teólogo escocês Myer Pearlman, filho de judeus, comenta acerca do espírito e suas diferenças. Ele acredita que o espírito é o que diferencia o homem das demais criações. É dotado de vida humana e inteligência (Pv 20.27; Jó 32.8), distinguindo-se dos irracionais que possuem alma, mas não possuem espírito (Gn 1.20, no original).

Em Eclesiastes 3.21, a referência trata, aparentemente, do princípio de vida, tanto no homem como no irracional. Quem adverte que o fôlego dos filhos dos homens sobe para cima e que o fôlego dos animais desce para baixo da terra? Os irracionais não podem conhecer as coisas de Deus (1 Co 2.11; 14.2; Ef 1.17; 4.23) nem ter relações pessoais e responsáveis com Ele (Jo 4.24). O espírito do homem, quando se torna morada do Espírito de Deus (Rm 8.16), é centro de adoração (Jo 4.23,24), oração, cântico, bênção (1 Co 14.15) e serviço (Rm 1.9; Fp 1.27).

Faculdades morais do espírito regenerado

O homem recebeu o espírito de vida da parte de Deus para usufruir da imortalidade, porém, em consequência da desobediência e da prática do pecado ele morreu em cumprimento do que Deus havia dito (Gn 2.15-17). Imediatamente após o pecado o ser humano experimentou a morte espiritual tornando-se insensível à pessoa e à vontade de Deus. A morte física foi incluída ao julgamento divino sobre o ser humano. O apóstolo Paulo descreve claramente a condição do homem após a queda:

E vos vivificou, estando 
vós mortos em ofensas e 
pecados.
Efésios 2.1

Deus não abandona o homem na condição deplorável de morte espiritual. Ele estabeleceu um plano de regeneração do espírito. Esta obra espiritual não poderia ser realizada pelo homem ou por suas obras, pela sabedoria ou conhecimento, por sacrifícios ou ofertas de qualquer valor, ou qualidade. Deus gerou e propôs o plano salvador, sendo, assim, o executor. Observe as palavras do apóstolo Paulo: E (Deus) vos vivificou [...].

Principais faculdades
 morais do espírito 
regenerado pela ação 
divina 
Amor (1 Co 13.4,5; Cl 3.14; 1 Jo 4.16; Ef 4.2; 1 Pe 4.8; Jo 15.12)
Justiça (Pv 21.21; 1 Tm 6.11; Mt 6.33; Tg 3.18; Pv 10.2; Sl 112.6; Pv 31.9)
Verdade (3 Jo 1.4; Ef 4.15; 1 Jo 1.6; 2 Tm 2.15; Sl 119.30; Pv 4.24; 1 Jo 3.18)
Sabedoria (Cl 4.5,6; Sl 90.12; Pv 11.2; 15.33; 16.16; Tg 3.17; Tg 3.13)
Santidade (2 Co 7.1; Rm 6.22; Hb 12.14; Lv 20.26; 1 Pe 2.9; Lc 1.74,75; 2 Tm 2.21)

...

A VALIDADE DA PALAVRA DE DEUS

Validade do alimento espiritual: 
a Palavra de Deus
Permanece no céu (Sl 119.89)
Subsiste eternamente (Is 40.8)
Não hão de passar (Mt 24.35)
Permanece para sempre (1 Pe 1.23-25)

Este é o alimento do espírito que o vivifica e sustenta para sempre, nesta vida presente e na eternidade. Tudo passa, mas a Palavra de Deus permanece para sempre.

Porque assim diz o 
SENHOR: Eis que 
estenderei sobre ela a
 paz, como um rio, e a 
glória das nações, como 
um ribeiro que
 trasborda; então, 
mamareis, ao colo vos 
trarão e sobre os joelhos
 vos afagarão.
Isaías 66.12

Pão vivo

Eu sou o pão vivo que 
desceu do céu; se alguém
 comer desse pão, viverá 
para sempre; e o pão que
 eu der é a minha carne, 
que eu darei pela vida 
do mundo.
João 6.51

Após o primeiro milagre da multiplicação dos pães e peixes, alimentando quase cinco mil pessoas (Jo 6.1-12), o Senhor Jesus respondeu questões em que a comida era o ponto central. Cercado pela multidão saciada e pelo interesse do povo em saber mais sobre a obra de Deus, Jesus declara ser o Pão vivo.

Durante o seu ministério na terra, uma necessidade básica do ser humano, a comida, foi um assunto tratado por Jesus em diferentes ocasiões. Ao mencionar a comida, especialmente o pão — João registra quatro vezes, no capítulo seis do seu evangelho, o Senhor Jesus declarando ser o Pão [da vida] —, Ele aplicava um sentido espiritual, como um alimento capaz de saciar as necessidades espirituais do homem (Jo 6.27).

Pão vivo que dá vida

O único pão capaz de alimentar o espírito humano é o Pão vivo. Deus é espírito e concedeu do Seu Espírito ao homem. Quem o recebe e dele se alimenta tem vida para sempre. O homem morreu espiritualmente e Deus planejou recriar o espírito humano para trazê-lo de volta à comunhão original com Ele. O homem precisava das revelações divinas que ocorrem primeiramente no espírito e, em seguida, são enviadas para a mente. Sem vida o espírito não tem condições de exercer suas funções.

Bem-aventurados os que
 têm fome e sede de 
justiça, porque eles serão
 fartos.
Mateus 5.6

O nascer de novo é no espírito (Jo 3.6). Este renascimento só acontece quando o ser humano recebe o Pão vivo que o vigoriza espiritualmente habilitando-o a cumprir o propósito divino em seu viver. Sem a vida proporcionada pelo Pão vivo, o homem natural não aceita o que é de Deus, não entende a vontade do Senhor e recusa o Seu melhor (1 Co 2.14).

Desceu do céu

Outra verdade que fortalece a vida divina é a sua procedência. Ele desceu do céu, Sua morada. Assim como no passado os israelitas se alimentaram do pão que desceu do céu, o Pão vivo tem a mesma origem divina (Êx 16.4-15). Está escrito: Deu-lhes (Deus) a comer o pão do céu (Jo 6.31). Semelhantemente, o Senhor Jesus procede como o Pão vivo oferecido aos homens:

E (Jesus), tomando o pão
 e havendo dado graças, 
partiu-o e deu-lho,
 dizendo: Isto é o 
meu corpo, que por vós é
 dado.
Lucas 22.19

O Deus que fez chover pão do céu para alimentar fisicamente homens, mulheres e crianças é imutável, onisciente, onipresente e onipotente, e enviou Jesus para suprir a fome e a sede espiritual do ser humano. Se o espírito do homem não receber o Pão vivo, enfraquece, desfalece e perece (2 Pe 3.9).

Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.
João 6.38

Permanece para sempre 

Trabalhai não pela 
comida que perece, mas pela comida que 
permanece para a vida 
eterna, a qual o Filho do 
Homem vos dará, 
porque a este o Pai, 
Deus, o selou.
João 6.27

Estas palavras ditas pelo Senhor Jesus comprovam a sustentabilidade eterna da comida que sacia a fome do ser humano. Algumas religiões, filosofias e doutrinas humanas oferecem paliativos e soluções temporárias que não resistem ao teste do tempo. Elas surgem na história da humanidade e logo em seguida desaparecem deixando frustração, decepção e amargura.

O alimento espiritual é mais importante do que o alimento para o corpo, e apenas Jesus pode fazer o espírito viver. Para manter o espírito vivo precisa mos nos alimentar da Palavra de Deus e obedecer aos mandamentos do Senhor.

Jesus disse-lhes: A minha
 comida é fazer a 
vontade daquele que me 
enviou e realizar a sua 
obra.
João 4.34

Segundo as palavras do Senhor, o verdadeiro sustento para a vida é fazer a vontade de Deus. Quando o ser humano busca realizar o desejo de Deus, ele vive para sempre. João confirma:

E o mundo passa, e a 
sua concupiscência; mas 
aquele que faz a vontade 
de Deus permanece para 
sempre.
1 João 2.17

Comer Sua carne e beber Seu sangue

Comer e beber são expressões utilizadas por Jesus, e, figurativamente, indicam a participação dos salvos nos benefícios da morte de Cristo. Devemos compreender espiritualmente as palavras do Senhor ao referir-se, em um sentido profético, à vida de fé que marca todas as pessoas que entregam suas vidas a Deus, em compromisso estável e permanente. O justo viverá da fé (Rm 1.17). O crente salvo compartilha sua fé alimentando-se espiritualmente da carne de Cristo ferida em seu favor. O indivíduo salvo, através da fé, bebe do sangue do cordeiro que foi derramado para a redenção e salvação do homem.

Quando o homem come do corpo e bebe do sangue do Senhor Jesus, permanecendo ligado nele, recebe a pessoa de Cristo nutrindo seu espírito e dando vida abundante (Jo 15.4,5,7). Este processo, além de alimentar o espírito e satisfazer os anseios da alma, colabora efetivamente para a saúde e o equilíbrio do corpo.

Quem come a minha
 carne e bebe o meu 
sangue permanece em
 mim, e eu, nele. Assim
 como o Pai, que vive, me 
enviou, e eu vivo pelo
 Pai, assim quem de mim 
se alimenta também 
viverá por mim.
João 6.56,57

Tempo de se alimentar

Eis que vêm dias, diz o 
Senhor Jeová, em que 
enviarei fome sobre a
 terra, não fome de pão, 
nem sede de água, mas 
de ouvir as palavras do
 SENHOR. E irão 
errantes de um mar até 
outro mar e do Norte até 
ao Oriente; correrão por 
toda parte, buscando a
 palavra do SENHOR, e 
não a acharão.
Amós 8.11,12

Amós, da cidade de Tecoa, foi um profeta designado por Deus a transmitir mensagens de juízo sobre as nações, em destaque, o povo de Israel. Ele foi chamado ao ministério profético quando cuidava das ovelhas e cultivava figos. A fome e a sede, mencionadas por em suas profecias, não indicam o desejo do pão e da água em sentido literal, mas se referem à falta da Palavra de Deus. Esse tempo de juízo virá sobre todas as nações, povos e raças. A humanidade vive dias de apatia, indiferença, desprezo, negação e rejeição da Palavra de Deus. De acordo com a profecia as pessoas desesperadas correrão por todos os lugares em busca da Palavra de Deus, e não encontrarão.

A mensagem central do Livro de Amós destaca o tempo precioso que todos têm para alimentar o espírito. Hoje é o tempo apropriado para alimentar-se da Palavra de Deus. O homem rico, mencionado pelo Senhor Jesus (Lc 16.19-31), não buscou a Deus no tempo próprio e deixou passar a grande oportunidade da salvação. Enquanto viveu neste mundo priorizou as riquezas e os prazeres da carne. Morreu e foi diretamente para o Hades; em vez de paz, riqueza, saúde e salvação havia tormento, desespero, dor e condenação eterna.

Deus tem contemplado o homem com este tempo de graça para que se alimente da Palavra. Deus convida o homem a buscá-lo para ter vida (Am 5.4). É tempo de buscar o Senhor (Os 10.12).

Buscai ao SENHOR 
enquanto se pode achar,
 invocai-o enquanto está 
perto.
Isaías 55.6

Eu sou o pão da vida; 
aquele que vem a mim
 não terá fome. [...] Eu 
sou o pão vivo que 
desceu do céu. Quem 
comer deste pão viverá 
eternamente. E o pão,
 que eu hei de dar, é a
 minha carne para a 
salvação do mundo.
João 6.35,51

O homem espiritual

Ser espiritual é priorizar as coisas espirituais, olhar para o que é de cima e entender que, vivendo um relacionamento espiritual, a vida material é alcançada automaticamente. O homem espiritual tem discernimento de coisas que o homem carnal jamais entenderá. Ele entende que os ensinamentos bíblicos vêm de Deus e, por isso, os pratica.

Medite, reflita e aplique
Mateus 5.3; 26.41
Marcos 2.8
Lucas 1. 17
1 Coríntios 2.15; 6,17; 14.37
Efésios 5.18
Colossenses 1.9
1 Pedro 2.2,5


E todos foram cheios do Espírito Santo (At 2.4a). A experiência sobrenatural vivida pela Igreja primitiva, no Dia de Pentecostes, inaugurou uma nova etapa na história dos cristãos. Um período de quase 500 anos, conhecido nos círculos teológicos como “túnel”, uma ausência de revelação divina, terminou com a chegada de Jesus ( Is 9.6) e com o derramamento do Espírito Santo sobre a igreja. 

TRECHO DO LIVRO CORPO ALMA E ESPIRITO
JOÁ CAITANO

Nenhum comentário:

Postar um comentário







Zattini













































Não deseja mais receber nossas mensagens? Acesse esse link.



























































As ofertas anunciadas neste e-mail são válidas até 25/03/2019 ou enquanto durarem os estoques.



Preços e condições

Preços e condições válidos somente para compra por meio desta mensagem.

Caso haja diferença de preço ou descrição do produto entre este e-mail e o site, a condição válida e praticada será a do site.

Compras feitas com cartões podem ser parceladas em até 10x sem juros, respeitando-se o valor da parcela mínima de R$ 25,00.



Promoções

As promoções na Zattini não são cumulativas.

As promoções classificadas como "Só Hoje" são válidas somente na data de disparo deste e-mail

Trata-se de um aviso informativo, não significa que você está comprando este produto nem tenha feito uma reserva de compra deste item.

As imagens encontradas no e-mail são meramente ilustrativas.

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, acesse nossa central de relacionamento, escreva para sac@zattini.com.br ou ligue (11) 3028-5353.

Nosso endereço: Rua Vergueiro, 943 - Liberdade - CEP 01504-000 - São Paulo - SP - Brasil







Não deseja mais receber nossas mensagens? Acesse esse link.