Se Liga News



23/11/2018

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL: O ABC fazer Envelhecimento



TEXTO BÍBLICO BÁSICO
Lucas 2.25-32
25 - Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele.
26 - E fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor.
27 - E, pelo Espírito, foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei,
28 - ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse:
29 - Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra,
30 - pois já os meus olhos viram a tua salvação,
31 - a qual tu preparaste perante a face de todos os povos,
32 - luz para alumiar as nações e para glória de teu povo Israel

TEXTO ÁUREO
Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra." Rm 13.7
através deste site.Almeida Revista eAtualizada
 Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje, da Sociedade Bíblica do Brasil. através deste site.
 Biblia online


Pré - aula:





ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS

Prezado professor,
A população mundial passa por um processo acentuado de envelhecimento. No Brasil, conforme pesquisas do IBGE — Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas —, nos anos de 2012 a 2016, a população na terceira idade alcançou, aproximadamente, 30 milhões de pessoas.
Em idade avançada, homens e mulheres estão ainda em plena atividade no âmbito das empresas, das instituições públicas e eclesiásticas em todo mundo.
Mostre aos seus alunos que envelhecer é algo desejável e um grande privilégio. Dialogue com eles sobre o respeito, consideração e amor, devidos a essas pessoas a quem as Escrituras Sagradas atribuem grande honra (Pv 16.31).



Palavra introdutória
A população mundial passa por um processo de envelhecimento.
Quando o número de pessoas longevas ultrapassa o contingente de crianças e jovens na sociedade, isto ocorre, em geral, pelas seguintes razões: planejamento familiar ou diminuição natural de nascimentos; aumento da expectativa de vida da população; ou o somatório de ambos.
Pesquisas apontam que, em 2050, a população mundial de idosos entrará em dois bilhões de pessoas. O Brasil, segundo o IBGE, figurará como a sexta maior comunidade de idosos no mundo. O percentual em 2016 era de 12,8% e passou para 14,4%. Isso aponta para um contingente de quase 30 milhões de brasileiros com idade superior a 60 anos.
No entanto, parece que as pessoas não estão preparadas para enfrentar com sabedoria e equilíbrio este ciclo da vida.
Elas não estão prontas para o seu próprio envelhecimento.


1. PONTOS DE VISTA SOBRE O ENVELHECIMENTO
A gerontologia, ramo da medicina que estuda o fenômeno do envelhecimento — do grego gero, envelhecimento, mais logia, estudo —, classifica as pessoas na terceira idade em três grupos:
o velho jovem — 65 a 75 anos;
o velho médio — 75 a 85 (ou 90) anos;
os velhos, velhos — 85 (ou 90) anos em diante.
A visão sobre a velhice pode ser diferente de acordo com o ângulo de cada pessoa. Alguns poetas e filósofos descreveram-na de forma muito pessimista. Por exemplo, Simone de Beauvior afirmou que “a velhice é uma paródia da vida; ela é pior do que a morte porque mutila aquilo que fomos”. Chateaubriand disse que “a velhice é um naufrágio”.
Ovídeo, considerado o maior poeta romano do primeiro século antes de Cristo, descreveu a morte com os seguintes versos:
“Tempo, ó grande destruidor, e velhice invejosa, juntos, arruinais todas as coisas”. No entanto, o salmista descreve a velhice de maneira diferente (Sl 92.12-15).
Observem abaixo as seguintes assertivas sobre a velhice:


1.1. Não é sinônimo de doença
A passagem dos anos traz, em certa medida, o declínio da saúde e das energias. Porém, com bons hábitos de vida, alimentação adequada, exercícios físicos e cuidados na área espiritual e emocional, é possível viver bem, mesmo com a chegada dos anos.


1.2. É a melhor das opções
Na vida, só existem duas possibilidades: envelhecer ou morrer. Como o desejo de viver faz parte da essência dos anseios da alma humana, logo é melhor envelhecer.


1.3. Um tempo em que se pode cultivar a alegria
Não basta optar pela vida e aceitar serenamente o envelhecimento, pois o mais importante é envelhecer com alegria. A pessoa na terceira idade não precisa, necessariamente, ser ranzinza, mal-humorada ou um poço de reclamações, ela pode ser alguém alegre e feliz.
O idoso deve valorizar o seu presente, porque, de forma concreta, nada existe além dele. Entretanto, é indispensável manter a janela da vida aberta para o futuro, uma vez que a
vida é um dom de Deus. Ao aproximar-se da velhice, o salmista Davi, sem saudosismos e olhando para o futuro, orou a Deus
(Sl 71.18).


1.4. Um tempo para pacificar o passado, viver o presente e projetar o futuro
As experiências infectadas do passado e os conteúdos varridos para debaixo do tapete ao longo da vida precisam ser todos resolvidos antes — ou no decurso — da terceira idade. É muito importante que situações não resolvidas do passado sejam devidamente tratadas e solucionadas, pois, só assim, se pode envelhecer como é preciso.


1.5. Um tempo de aprendizagem
Aprender é para a vida toda. A aprendizagem é fundamental à busca de aperfeiçoamento e felicidade. A velhice pode ser o momento ideal para desenvolver uma nova habilidade, tais como: dançar, cantar, tocar instrumentos musicais, andar de bicicleta, praticar um novo tipo de esporte, escrever um livro,
fazer um curso ou faculdade, dentre muitas outras. Não há nada de errado em querer “fazer de tudo” na terceira idade.


1.6. Um tempo para empreender e realizar
A velhice pode ser um tempo de inutilidade, solidão e amargura, mas também pode ser um tempo de grandes realizações. Muitos personagens da Bíblia e da história da humanidade realizaram os maiores feitos de suas vidas quando já estavam na terceira idade. No livro Perdas Necessárias,
página 297, Judith Viorst escreveu: “O trabalho é o esteio da nossa personalidade, a âncora do eu social e privado, define
esse eu para si mesmo e para o mundo”. Não existe um
tempo em que o ser humano deva parar de trabalhar.


2. COMO A SOCIEDADE TRATA O IDOSO
O envelhecimento não pode ser visto como sinônimo de decadência, decrepitude ou caducidade. O equilíbrio, a saúde e a esperança podem permanecer íntegros mesmo na terceira idade. De qualquer maneira, é preciso dar uma olhada no que a sociedade pensa a respeito do assunto. Em geral, as pessoas rotulam o envelhecimento:


2.1. Como final da linha
A sociedade vê o envelhecimento como se fosse uma tragédia anunciada, o fim de todas as coisas. É certo que envelhecer implica a aceitação de determinadas limitações, como, por exemplo: a perda da beleza física e das energias; os sentidos não são mais tão aguçados; os reflexos são mais lentos; e as memórias de curto prazo não são mais tão acessíveis. Porém a velhice, dependendo de cada um, pode ser um tempo para experimentar grandes novidades e viver de maneira intensa e apaixonada. Pode ser um tempo de conquistas e surpresas imensamente agradáveis.


2.2. Como alvo de pena
É certo que as enfermidades estão muito mais próximas de um idoso do que de uma pessoa mais jovem. A vida longa, com o enfrentamento de eventuais grandes desafios, também cansa. Porém não se pode esquecer de que a velhice sinaliza para o acúmulo de conhecimentos, experiências e força.
O idoso não precisa de condescendência e pena. Ele precisa de consideração, respeito e amor.


2.3. Como um tempo de estagnação e retrocesso
Na velhice, as pessoas não estacionam na vida. Aliás, quando a pessoa acha que está parada, de fato, ela está regredindo.
A vida na velhice não pode ser comparada às águas rotas de uma lagoa, mas, sim, às águas cristalinas e correntes de um grande rio. O envelhecimento não pode ser visto como invalidez. Há muitos exemplos de pessoas que, na velhice, deixaram o seu traço, a sua marca, seja na superação de perdas e do sofrimento, seja no desenvolvimento de projetos na área social, ou nas diversas formas de empreendedorismo.


2.4. Como um tempo de inatividade e desocupação
O idoso, às vezes, é tratado pela sociedade como se já tivesse cumprido o seu papel na vida. Na melhor das hipóteses, restam-lhe apenas as ocupações, sem grande significado ou importância. O ex-presidente dos EUA, George Bush, o pai, certa vez chamou a atenção dos seus contemporâneos idosos que limitaram suas vidas a jogar cartas com amigos nas praças das cidades americanas. Ele mostrou que eles haviam ajudado muito na construção daquele país, mas ainda tinham muito para
contribuir e não podiam se omitir. Não importando a idade, há sempre muita coisa para fazer, ainda se pode decidir sobre os destinos das nações, empresas, famílias e pessoas.


2.5. Com desprestígio e rejeição
As mídias elegeram a juventude como padrão do que é belo e recomendável. As propagandas apresentam sempre jovens bonitos e cheios de vida para anunciarem os produtos das grandes grifes. Alguns jovens fazem comentários irônicos e de desprezo em relação às pessoas de idade avançada. No entanto, ignoram que as bênçãos da juventude podem perdurar na velhice, e esquecem-se de que, eles mesmos, estão marchando celeremente em direção à terceira idade, ou em direção à morte, caso não sejam abençoados e fortes o bastante para lá chegar.


3. O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE O ENVELHECIMENTO
Segundo pesquisas, nos EUA a expectativa de vida passou de 47 anos de idade, em 1900, para quase 75 anos, em 1981.
No censo feito em 2010, a nação possuía, aproximadamente, 41 milhões de pessoas com mais de 65 anos de idade. No entanto, segundo a escritora Judith Viorst, os idosos são vistos lá — excetuando-se os milionários, magnatas, artistas e ícones do esporte — como assexuados, inúteis, sem força e fora do jogo.
Em que perspectiva as pessoas longevas são enquadradas nas Escrituras Sagradas? Vejamos o que a Bíblia fala sobre o assunto:


3.1. O cuidado generoso do Altíssimo está sobre o longevo
O Deus que ampara, dirige e orienta os Seus filhos continuará na velhice agindo da mesma forma. O profeta Isaías destacou uma sublime promessa de Deus nesse sentido (Is 46.4). E o salmista asseverou que Deus, em Seu infinito amor, guia o salvo na velhice e até depois dela (Sl 48.14).


3.2. A velhice pode ser um tempo de renovação
A velhice não deve ser vista como um período da vida caracterizado pelo tédio e pela acomodação. Ao contrário, pode ser o momento de mostrar interesse pelo bem-estar das pessoas e por novos projetos de vida. No campo da espiritualidade, é possível alcançar novas e profundas experiências com Deus. Paulo profetizou que, apesar da fraqueza do corpo e das aflições decorrentes dos ciclos da vida, é possível experimentar o renovo do Senhor (2 Co 4.16).


3.3. A velhice é uma concessão divina
Viver muitos anos não é algo para todos; algumas pessoas morrem relativamente cedo. No entanto, é preciso investir em qualidade de vida na velhice. Deus dá abundância de dias às pessoas e espera que elas fiquem à altura desse grande privilégio, esforçando-se para ter saúde, bem-estar, gratidão e contentamento. A longevidade é uma dádiva divina. Isto fica claro no Salmo 91.15,16.


3.4. A velhice pode ser um tempo de grande frutificação
No Salmo 92.12-14, o justo é comparado à palmeira, que é uma árvore de grande beleza, além de ser frutífera e útil. Ele é comparado, também, ao cedro do Líbano, árvore que cresce nos lugares mais improváveis, desafiando as tempestades e ameaças à sua sobrevivência. O salmista finaliza afirmando
que o justo está plantado na Casa do Senhor e ali florescerá.
Na velhice, ele dará frutos viçosos e florescentes. Seu testemunho de vida será um anúncio da retidão e da justiça do Senhor.


CONCLUSÃO
Abraão e Sara tiveram Isaque, o filho da promessa, quando já eram idosos. Moisés e Arão, já com 80 e 83 anos, iniciaram, sob a orientação de Jeová, a retirada do povo de Israel do Egito. Josué tinha 80 anos quando atravessou o Jordão e iniciou o período das conquistas de Israel. Calebe, aos 85 anos, alegando possuir a mesma força de 45 anos atrás, reivindicou junto a Josué a terra que Moisés lhe havia prometido. Simeão já estava em avançada idade quando viu cumprir-se a profecia do nascimento do Salvador.
Sim, a velhice não é o momento da história em que o melhor ficou para trás. Nunca é tarde demais para continuar a mudar, realizar e crescer.


ATIVIDADE PARA FIXAÇÃO
1. Considerando o que foi exposto nesta lição, comente a seguinte afirmação: a velhice não é o momento da história em que o melhor ficou para trás.
R.: 
  • Comentários no Blogger
  • Comentários no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Item Reviewed: ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL: O ABC fazer Envelhecimento Rating: 5 Reviewed By: Oedimar Oliveira