ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL: VOCÊ PODE SER MAIS CORAJOSO, MAS NÃO PRECISA SER BRIGÃO! - Se Liga na Informação



ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL: VOCÊ PODE SER MAIS CORAJOSO, MAS NÃO PRECISA SER BRIGÃO!

Compartilhar isso
Texto Básico:   Mateus 11.29 – NVI

“Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas”. (Mt 11.29 – NVI).
Sabemos que, na qualidade de cristãos, precisamos ser mansos.
Contudo, há pessoas que se aproveitam dessa característica, principalmente, quando confundimos ou somos pressionados a confundir mansidão com sujeição.
A partir de uma compreensão equivocada, corremos o risco de adotar, vez por outra, uma postura agressiva ou indiferente, para evitar pessoas folgadas ou dominantes.
Resumindo, ser manso não parece algo simples!

1 – PORQUE SÓ OS FORTES PODEM SER MANSOS!

Embora haja pessoas difíceis de conviver, como seguidores de Cristo, precisamos nos aproximar delas, a fim de ajudá-las na descoberta da vida abundante prometida por Jesus (Jo 10.10). Alguém precisa prestar assistência espiritual, valorizando essas pessoas difíceis e não alimentando um pensamento sobre si além do que convém (Rm 12.3). Que tal exercer a mansidão diariamente no trato com as pessoas, por mais difíceis que elas sejam? Mansidão é sinônimo de fraqueza ou de autocontrole?
Quem precisa ter o controle sobre os outros é forte ou fraco? Por quê?


2 – TENDO CORAGEM, MAS SENDO MANSO!

Quem tem a chave, tem o poder de abrir a porta. Precisa, apenas, aprender como fazer isso!
Você pode ser manso, porque, se você é um cristão, Deus já o capacitou para isso! O fruto do Espírito
é... mansidão (Gl 5.23).

O que é mansidão? 
A palavra traduzida por mansidão, também pode significar amabilidade, doçura, brandura, cortesia, consideração, modéstia, humildade e abnegação. É muito comum que, quando falamos de mansidão, algumas pessoas confundam isso com fraqueza. E ser manso não é ser fraco. Ser manso é não ser agressivo, não ser reativo, não ser levado pelos impulsos. Ser manso é ser forte sem perder o controle.
A pessoa mansa, segundo o significado desta palavra, consegue reunir força e brandura em si.

Nosso exemplo de mansidão.
No caso de Jesus, a mansidão é um exemplo perfeito a ser seguido. Ele sabia quem era e não ficava brigando para provar nada a ninguém. Ele era firme em se submeter a Deus e em resistir o mal. Não era um homem passivo, mas também não era agressivo. Era agradável, de conduta suave, de atitude pacífica. O que não fazia dEle uma pessoa apática, indiferente. Quando preciso, Jesus era firme e contundente. Mas, nunca de modo impulsivo, reativo ou agressivo. Vamos ponderar um pouco a respeito da mansidão de Jesus, à luz de Mateus 26.52-54, a fim de aprendermos dEle, que é manso e humilde de coração, de modo que encontremos descanso para as nossas almas!


Ser humilde é ser inteligente!
Podemos aprender à luz desse trecho das Escrituras que, embora corajosos, precisamos ser mansos, pela consciência de que o poder de Deus é indestrutível, enquanto o nosso, é limitado. Quando Jesus está prestes a ser preso, o seu discípulo, precipitadamente, sacou da espada e cortou a orelha do servo do sumo sacerdote. Jesus, então, mandou o discípulo guardar a espada e afirmou que as consequências de uma atitude violenta não são boas (Mt 26.52). Afinal, considerando que nosso tempo e nossa energia são esgotáveis, precisamos escolher nossas batalhas e empregá-los com ousadia, estratégia, equilíbrio e efetividade.

O manso evita a disputa de poder.
O crente brigão tenta fazer a vontade de Deus confiando no esforço humano, onde a carne, a natureza humana caída, opera. E não tem como glorificar a Deus confiando em si mesmo, como quem crê num ídolo, no “deus ego”. O cristão não precisa ser valentão, porque sabe que Deus tem o controle sobre tudo e sobre todos: sobre o tempo, o espaço, as circunstâncias, os poderes espirituais e humanos. O seguidor de Jesus crê que os mansos são supridos por Deus (Mt 5.5) e herdarão a terra (Sl 37.11-20), ao contrário dos ímpios.
Agressividade e temor. Tenha coragem, mas seja manso, porque você não precisa destruir, se você não teme! A reação violenta é uma marca do temor, do sentimento de ameaça, o que não era o caso de Jesus. Ele mesmo disse que, se quisesse, teria à disposição mais de doze legiões1 de anjos para protegê-lo (Mt 26.53). Ou seja, não precisava ser agressivo, porque sabia que seus oponentes só poderiam lhe fazer o que Deus permitisse.
Mansidão não é passividade.
O cristão que manifesta a mansidão, enquanto fruto do Espírito, não se vê nem maior nem menor do que ninguém. Não confia no poder humano para se sustentar.
Confia em Deus e a Ele obedece, haja o que houver, enfrente o que enfrentar. Como alguém que confia no poder de Deus e que representa o Reino, agindo em nome do Rei, ele sabe que não há o que temer e nem do que ou de quem se defender.
Quem ataca o cristão, ataca 
Aquele que o nomeou para realizar a sua obra (At 9.4,5).
Se você obedece a Deus, você vai confiar nEle! Seja corajoso, mas seja manso, consciente de que a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita (Rm 12.2), mesmo que nem tudo vá bem. Afinal, o cristão sabe que “Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28). Jesus não revidou a hostilidade dos servos do sumo sacerdote, mas confiava que sua vida e o que nela acontecia fazia parte de um plano (Mt 26.54). Que aprendamos com o Senhor Jesus, sua mansidão e sua humildade de coração (Mt 11.29). À medida que esse aprendizado for avançando, nossas almas vão progredindo na fina arte de descansar da correria dessa nossa breve e frágil vida.

3 – AFINAL, MANSIDÃO RIMA COM REFLEXÃO!

Em vez de chutar o balde por causa do que lhe fizeram, pense e repense no jeito certo, com as palavras adequadas, num jeito de conversar com a pessoa que lhe prejudicou. Jesus não era passivo nem agressivo e nós também não precisamos ser, considerando que Ele vive em nós (Gl 2.20).
Compreender as pessoas pode nos ajudar a ser mansos no relacionamento com elas. Temos a tendência de exigir demais dos outros e quase nada de nós mesmos. Colocar-se no lugar do outro, calçar o sapado do outro, pode ajudar você a ser menos agressivo e mais considerado (Fp 2.4).
No embate de ideias, muita gente briga. Talvez, porque no afã de suplantar o outro, na discussão, corremos o risco de atacar a pessoa. Ou, tentando evitar um conflito com o outro, podemos nos acovardar e fingir concordar com eles. Todavia, é possível respeitar sem concordar; entender a pessoa, sem abandonar as próprias convicções (Pv 15.1).
2Timóteo 2.24 diz: “Ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para com todos, apto para ensinar, paciente”. Geralmente, as pessoas entendem que a mansidão de um líder é a mesma
coisa de ele nunca repreender, nunca corrigir ou nunca ser duro.
Mas, a própria epístola contém orientações para que o líder seja firme.
Que nossos líderes não sejam omissos, nem sejam brigões! Que sejam amorosos, mas que sejam firmes! E que Deus dê discernimento ao seu povo para não confundir amor com apatia e firmeza com
agressividade.
Há pessoas que sempre querem ter razão em tudo. Como é difícil dialogar com gente assim! Não é mesmo? No entanto, elas podem estar certas em algum momento.
Como saber? Sendo ensinável!
Infelizmente, assim que somos criticados, somos tentados a reagir em autodefesa. Para isso, Tiago nos recomenda prontidão em ouvir e lentidão em rebater, além de sair do ringue em vez de ficar zangado (Tg 1.19). Quem disse que vencer uma discussão é vencer? Quem disse que ser repreendido é perder? (Pv 13.18). Ignorar as ofensas, evitando uma atitude reativa, é uma demonstração de que as pessoas não decidem como você vai se comportar e se sentir (Pv 19.11).
Que você não dependa da atitude dos outros para ser manso! Talvez a outra pessoa não mereça a sua mansidão e o seu respeito, mas Deus merece, e ela precisa!

1 - A legião romana tinha cerca de seis mil soldados. (12 X 6.000 = 72.000).

CONCLUSÃO

De acordo com Gálatas 6.7,8, podemos semear coisas boas ou ruins em nossas vidas e, para semearmos bênçãos, precisamos ser espirituais, apesar de imperfeitos.
Precisamos nos examinar, olhar um pouco mais para dentro de nós e cobrar menos dos outros, sempre à luz das Escrituras!

PARA PENSAR E AGIR

Reagir com mansidão não tem a ver com temperamento, mas com inteligência.
Leia, pelo menos, um dos Evangelhos, observando a mansidão de Jesus!
Como repreender sem brigar?
Como ser amoroso e firme ao mesmo tempo?

Fonte: Revista Palavra e Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário