Escola Bíblica Dominical: A autoridade do cristão - Se Liga na Informação



Escola Bíblica Dominical: A autoridade do cristão

Compartilhar isso

A Autoridade do Cristão



TEXTO BÍBLICO BÁSICO



Lc 10.17-20; Mc 16.14-20


17 - E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam.
18 - E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu.
19 - Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.
20 - Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.

14 - Finalmente apareceu aos onze, estando eles assentados juntamente, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já ressuscitado.
15 - E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
16 - Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
17 - E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;
18 - Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.
19 - Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus.
20 - E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém.



                                                            TEXTO ÁUREO
"Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra;"
 Tt 3.1

                                                  COMENTÁRIO


Palavra introdutória

A Bíblia está repleta de alusões a batalhas espirituais, as quais se desdobram em duas frentes:

  • os conflitos interiores do cristão contra a sua natureza carnal (Êx 4.1-9; 2 Co 4.11);
  • o conflito entre a Igreja, o diabo e seu reino das trevas (Jo 12.46; At 26.18).
Por essa razão, Jesus delegou poder e autoridade à Sua Igreja para lutar e vencer tais embates que ocorrem no âmbito espiritual (Ef 6.12).



1. GUERRA ESPIRITUAL

O diabo aborrece a imagem de Deus em nós e odeia até mesmo a natureza humana que possuímos, com a qual o Filho de Deus foi revestido (Lc 2.40).

Sua principal finalidade é impedir a felicidade eterna, a qual abomina, porque ele mesmo perdeu para sempre (2 Pe 2.4).


1.1 Combate real e permanente
Em momento algum, devemos esquecer que estamos, constantemente, em guerra espiritual (Mt 10.34; Rm 7.18). Paulo destaca esse conflito com várias palavras: tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo, espada (Rm 8.35) e com sua figura predileta: a armadura de Deus (Ef 6.10-20).



1.2. Embates nas regiões celestiais
O relato bíblico de Daniel 10 ilustra essa oposição ao povo de Deus pelas potestades malignas nas regiões celestiais. Afirma-se, nessa passagem, que um principado do mal, o príncipe da Pérsia, estava interceptando a mensagem trazida pelo Anjo ao profeta (uma teofania). Nesse caso, houve a intervenção do arcanjo Miguel, o chefe dos exércitos celestiais, para libertar as regiões celestiais.  



1.3. Conflitos na mente humana
Satanás consegue sugerir pensamentos maus à mente humana a fim de tentá-la para queda moral (Tt 1.15). Sua principal estratégia é obscurecer o entendimento do homem, chamando a sua atenção para aspectos carnais da vida (Rm 1.21; 2 Co 4.4) e fazendo da fé fonte de lucro (1 Tm 6.5), pela ênfase dos aspectos materiais (Lc 12.21).

2. DEFININDO O INIMIGO

2.1. Principais nomes
A Bíblia declara que o diabo existe e revela-nos o que precisamos saber sobre sua natureza. Vários adjetivos e cognomes são usados para descrevê-lo: Satanás (Jó 1.6), adversário, diabo (Ef 4.27), tentador, (1 Ts 3.5), acusador (Ap 12.10), destruidor, Belzebu (Lc 11.15), maligno (1 Jo 5.19), pai da mentira (Jo 8.44), serpente, dragão (20.2). Todos apontam para um caráter perverso e indigno.
Satanás não é onipresente, onisciente nem onipresente, Apenas Deus tem estes atributos. Entretanto, é um poderoso ser espiritual (Ap 13.1-3). Foi criado antes dos seres humano (Ez 28.13). Conhece profundamente o homem, suas falhas, concupiscências, vontades, desejos, habilidades, manias, problemas emocionais e pontos fracos (Lc 8.12-14; 2 Tm 2.26).


2.2. Intenções malignas
Em virtude de suas disposições hostis, o diabo promove todo tipo de impiedade, opondo-se a Deus e aos homens. Nas sagradas Escrituras, ele é descrito como serpente e dragão (Ap 12.9). Isso indica que ele é sorrateiro, venenoso, ágil, forte e com grande poder de destruição (Ap 20.1) e pode, inclusive, transfigurar-se em anjo de luz (2 Co 11.14).

3. A ESTRUTURA DE COMANDO DO IMPÉRIO DAS TREVAS
Satanás mostra-se altamente organizado em suas ações malignas. Existe uma hierarquia infernal. O diabo comanda espíritos malignos, organizados em vários grupos: principados e potestades, príncipes das trevas e hostes espirituais, cada um com sua perniciosa incumbência.


3.1. Principados e potestades
Os principados são uma ordem de seres angelicais maléficos que exercem autoridade sobre outros grupos de demônios (Rm 8.38). As potestades representam outro nível de hierarquia, também muito poderoso (Ef 3.10; Cl 1.16). Ambos foram despojados do seu poder pelo triunfo de Cristo na cruz (Cl 2.15). Por essa razão, não precisamos temê-los, pois estamos assegurados de autoridade pelo nome de Jesus (Lc 10.17; Fp 2.10).

3.2. Hostes espirituais da maldade
As hostes espirituais são exércitos de demônios, que estão sempre prontos para atacar (1 Pe 5.8). Essas tropas são enviadas contra pessoas, grupos ou nações. Presenciamos, hoje, o processo de devastação da terra, pela assolação provocada por essas hordas angelicais da maldade, que usam os homens e seus conglomerados para produzir a guerra, a miséria, a fome, a corrupção e tantos outros males (Rm 8.18-39).


4. A AUTORIDADE DO CRISTÃO PARA VENCER
No juízo final, Satanás e suas hostes serão aprisionados e, enfim, subjugados ao seu destino eterno de perdição (Ap 19.1-21). Entretanto, enquanto aguardamos esse glorioso dia, a graça de Deus impede a atuação total do poder demoníaco, a fim de que a Igreja seja vitoriosa sobre as forças do mal (Lc 10.17,19; Mc 16.17).
Para tal, os cristãos precisam assumir o compromisso se representar, com autoridade, o Salvador; assumindo algumas atitudes, a saber:


4.1. Plenitude do Espírito Santo A primeira atitude para ser um vencedor nas lutas espirituais é esvaziar-se de si mesmo e encher-se do Espírito Santo (Ef 5.18). A presença do Espírito Santo de Deus enche-nos de Sua autoridade, Seu poder e Sua unção (At 4.7-10; Ef 1.12-14).
Cheios do Espírito Santo, os cristãos conseguem refrear a tentação e resistir ao tentador, por mais difícil que seja a sua luta, pois o maior exemplo nos foi dado (Hb 12.3,4). Além disso, a Bíblia afirma que não há tentação maior do que a capacidade divina de a suportar (1 Co 10.13). Enfim, cheios do Espírito, lutamos e vencemos as hostes espirituais da maldade (Mc 16.17,18).



4.2. Submissão e sujeição a Deus
A segunda atitude importante para vencer a guerra espiritual encontra-se em Tiago 4.7, que ensina o dever da submissão a Deus, o qual coloca Satanás em fuga. Sujeitar-se a Deus significa deixá-lo na condição de Senhor da nossa própria vida, colocando-a a mercê de Deus e não do diabo (Ef 5.8; 1 Ts 5.5).
Quando o cristão suporta as aflições, em submissão a Deus (Tg 5.11), é alcançado por meio do sacrifício de Jesus na cruz, pela justificação e pela libertação do domínio do pecado (Jo 8.36). Entretanto, por possuir ainda uma natureza carnal, deve o cristão cuidar para não fazer com que essa liberdade seja pretexto par para atos pecaminosos (1 Pe 2.16; Gl 5.1).
A sujeição a Deus resulta do novo nascimento produzido pelo revestimento do Espírito, o qual dá ao Cristão a autoridade e o poder espiritual para subjugar a carne, vencer as tentações e o inimigo, e viver para a glória de Deus. 


4.3. A prática da oração e do jejum
O jejum, corretamente praticado, constitui-se em uma arma poderosa, com a qual podemos adentrar na dimensão espiritual e derrubar as fortalezas do diabo (Mt17.21). Jesus é o maior exemplo de que se deve praticar o jejum para vencer as tentações (Lc 4.12).
A terceira atitude é a prática do jejum. Devemos jejuar para buscar a santificação e o conhecimento da vontade do Pai (Mt 6.16-18). Assim, quando o diabo lançar suas sementes más, ou disparar alguma seta (Sl 91.5) ou dardos inflamados (Ef 6.16), estaremos prontos para lutar e vencer as astutas ciladas do maligno (1 Tm 3.7) Alé de jejuar e mortificar a sua carne, para apurar sua intimidade com Deus, o cristão precisa vigiar e orar! (1 Pe 4.7).
Lucas 10.17 narra o espírito de exultação e de surpresa com a qual os setenta discípulos foram tomados diante da poderosa ação de Deus sobre os intentos de Satanás. Tais vitórias no campo de lutas espirituais são confirmações da fé salvadora e trazem grande edificação à Igreja (Cl 2.7). 


4.4. Resistência e perseverança 
A quarta atitude é ser perseverante. A perseverança (Gr. hypomonê, paciência) conduz o cristão à vitória diante dos desafios espirituais e das tribulações (Rm 2.7; 5.3). Os mártires cristãos demonstraram vigorosa resistência nos primeiros e difíceis séculos da Era Cristã (Mc 13.13; At 14.22).




                                                            CONCLUSÃO
É certa a vitória nas batalhas espirituais porque Jesus Cristo, nosso Salvador, derrotou o diabo e sua obra de perdição quando triunfou na cruz e na ressurreição (1 Jo 4.4). Na condição de vencido, Satanás sabe que sua trajetória está chegando ao fim. Suas ações são, portanto, gestos desesperados. 
Alicerçado em Seu próprio poder, o Mestre concedeu autoridade aos discípulos. Se não houver dúvidas em nossos corações, a vitória nas batalhas espirituais está garantida. Enquanto estivermos sob a liderança segura do Espírito Santo, não seremos meros espectadores da história. Pelo contrário, Deus nos usará para desbaratar as forças espirituais da maldade e para quebrar cadeias espirituais, a fim de possibilitar nossa contínua santificação e a adesão dos pecadores a Cristo. 

                                                             Fonte: Revista Lições da Palavra de Deus n° 58



Comentários


John Calvin


1 Lembre-os de estar sujeitos a principados e poderes De muitas passagens, é evidente que os Apóstolos tiveram grande dificuldade em manter as pessoas comuns sujeitas à autoridade dos magistrados e príncipes. Somos todos por natureza desejosos de poder; e a consequência é que ninguém voluntariamente está sujeito a outro. Além disso, percebendo que quase todos os principados e potestades do mundo eram naquele tempo opostos a Cristo, eles os julgavam indignos de receber qualquer honra. Os judeus, especialmente, sendo uma raça indomável, não cessaram de motim e raiva. Assim, depois de ter falado de deveres particulares, Paulo agora deseja dar uma advertência geral a todos, observar pacificamente a ordem do governo civil, submeter-se às leis, obedecer aos magistrados. Essa sujeição aos príncipes, e que a obediência aos magistrados, que ele exige, é estendida a decretos, leis e outras partes do governo civil.


O que ele imediatamente acrescenta: Estar pronto para toda boa obra pode ser aplicado ao mesmo assunto, como se ele tivesse dito, “Todos os que não se recusarem a levar uma vida boa e virtuosa, alegremente cedem obediência aos magistrados.”Pois, uma vez que foram designados para a preservação da humanidade, aquele que deseja removê-los, ou sacudir o jugo deles, é inimigo da eqüidade e justiça e, portanto, é desprovido de toda a humanidade. No entanto, se alguém preferir interpretá-lo sem qualquer relação imediata com o contexto, não tenho objeção; e, de fato, não pode haver dúvida de que, nesta sentença, ele recomenda a eles bons ofícios para com seus vizinhos durante toda a vida.



Adam Clarke



Ponha-os em mente para estar sujeito aos principados, etc. - Por principados, αρχα953 ςdevemos entender os imperadores romanos, ou os supremos poderes civis em qualquer lugar.
Por poderes, εξουσιαις, devemos entender os deputados dos imperadores, tais como procônsules, etc., e todos os que estão em autoridade - sob os poderes supremos onde quer que moremos. Veja a doutrina da obediência aos poderes civis discutidos em geral nas notas de Romanos 13: 1-7 .
Esta doutrina de obediência aos poderes civis era altamente necessária para os cretenses, que eram reputados como um povo extremamente ciumento de seus privilégios civis, e prontos para entrar em um estado de insurreição quando suspeitaram de qualquer tentativa por parte de seus governantes. infringir suas liberdades. Suidas, sob a palavra ανεσειον, eles se agitaram, dando o seguinte fragmento: ΟἱδεΚρητεςφοβουμενοιμητιτιμωριαςτυχωσινανεσειονταπληθηπαρακαλουντεςτηνεξαιωνοςπαραδεδομενηνελευθεριανδ953 945 966 965 955 945 964 964 949 953 ν" Mas os cretenses, temendo que fossem punidos, instigaram a população, exortando-os a preservar cuidadosamente a liberdade que haviam recebido de seus ancestrais." Que parte da história de Creta isso se refere eu não posso dizer; as palavras ficam assim isoladas em Suidas, sem introdução ou conexão. Ficar com ciúmes dos nossos direitos e privilégios civis, e mais vigorosamente preservá-los, é altamente louvável; mas levantar um tumulto público para evitar o castigo merecido, sob o pretexto de que nossos privilégios civis estão em perigo, não é a parte de patriotas, mas de insurgentes. Para um conselho como o que é dado aqui, o caráter conhecido dos cretenses é uma razão suficiente: "Eles sempre foram mentirosos, ferozes feras e glutões lentos". Tais pessoas sentiriam pouca disposição para se submeter às restrições saudáveis da lei.



Thomas Coke



Tito 3: 1  O Os judeus eram de um espírito rebelde, muito sedicioso, no tempo em que esta epístola foi escrita; e foi com grande relutância que eles obedeceram a quaisquer governadores civis, mas àqueles de sua própria nação. Os cristãos judaizantes eram muito aptos a imitá-los e a conservar esse espírito faccioso; que eles teriam infundido nos gentios cristãos, e lhes ensinaram a ter como soberano um desprezo por homens de outras religiões, como eles próprios tinham. Em oposição a que, Tito deveria ensinar os cristãos a pagar a mais estrita obediência a seus governadores civis, e ter um espírito benigno para todos os homens; até mesmo para homens de diferentes nações, seitas e religião: e para reforçar isto, São Paulo deve ter insistido em seu próprio exemplo, Tito 3: 3 . Ele fora outrora um furioso perseguidor dos cristãos e um judeu fanático, como qualquer judeu ou judaizante descrente poderia ser; mas desde que, por meio da graça, abraçou o cristianismo em sua vida e poder, sua caridade foi ampliada, e ele viu a razoabilidade, a necessidade de amar e fazer o bem a todos os homens, de qualquer fé ou profissão. Tito era para ser perpetuamente inculcar sobre os cristãos esse temperamento e comportamento, como infinitamente preferível a uma consideração por genealogias judaicas, tradições e cerimônias, e ele não era apenas ensinar isso a si mesmo, mas também foi informado, que tal dos judeus cristãos como facções feitas pela propagação de suas imposições, eram hereges; e como tal os cristãos deveriam considerá-los e não manter nenhuma sociedade familiar com eles. Veja 1 Timóteo 2: 1-4 . Romanos 13: 1 ; Romanos 13: 7 .



CAPÍTULO 2  
O que é autoridade

Em Lucas 10:19, Jesus diz: Eis que vos dei AUTORIDADE para pisardes serpentes e escorpiões, e sobre todo o PODER do inimigo, e nada absolutamente vos causará dano". Quando menciona "serpentes e escorpiões," Jesus está falando do poder do diabo — demônios, espíritos malignos e todas as suas hostes. Precisamos tomar consciência de que temos autoridade sobre eles! Será que a Igreja do Senhor Jesus Cristo tem menos autoridade hoje do que tinha no primeiro século? Não seria absurdo o só pensar nisto? O valor da nossa autoridade repousa no poder que existe por trás dessa autoridade. O próprio Deus é o poder por trás de nossa autoridade! O diabo e suas forças se acham na obrigação de reconhecerem nossa autoridade! O crente que compreende de forma plena que o poder de Deus é a seu favor pode exercitar sua autoridade e enfrentar o inimigo destemidamente. O que é autoridade? Autoridade é poder delegada Os policiais que comandam o tráfego nas horas de maior movimento apenas erguem o braço e os carros param. Estes homens não têm o poder físico para parar os veículos, se os motoristas decidirem não obedecer. Mas, não é de sua própria força que eles se utilizam para parar o tráfego; eles são fortes na autoridade que lhes é concedida pelo governo a que servem. As pessoas reconhecem essa autoridade e param seus carros.Bendito seja o Senhor, há uma autoridade que nos é delegada pelo Senhor Jesus Cristo! Paulo disse aos crentes para serem fortes no Senhor, e na força do seu poder (Efésios 6:19). Isso significa que você pode se postar frente ao inimigo, estender sua mão e dizer-lhe que não se aproxime. Use sua autoridade! Certa vez na Inglaterra Smith Wigglesworth estava em pé numa esquina esperando por um ônibus. Uma mulher saiu de um edifício e um cachorrinho veio correndo atrás dela. Ela disse:"Querido, você vai ter que voltar!" O cachorro não lhe deu a menor importância. Só abanou o rabinho e se enroscou nela carinhosamente. Ela disse: "Querido, você não pode ir agora!" O cachorrinho abanou o rabo e se enroscou nela novamente. Nesse momento o ônibus chegou. A mulher então bateu o pé

12. no chão e gritou: "Para casa!" O cachorro, colocando o rabo entre as pernas, obedeceu de pronto. Wigglesworth disse que gritou sem mesmo pensar: "É assim que temos que fazer com o diabo!"

 RUGINDO COMO UM LEÃO
Em 1942, enquanto pastoreava no Texas, fui testado no meu corpo. Não disse nada a ninguém a não ser ao Senhor. Orei, cri que ele me curaria, e mantive a minha posição, fazendo pé firme. Durante a noite eu despertava com sintomas assustadores de problemas cardíacos e então me levantava e orava. Lutei contra isso por mais ou menos seis semanas. Uma noite tive grande dificuldade para dormir. Finalmente,depois de orar, caí no sono e sonhei. Estou satisfeito por Deus ter-me falado somente quatro vezes através de sonhos em toda a minha vida, mas aquele sonho não foi coincidência. Foi da parte do Senhor. Quando acordei soube imediatamente o que significava. (Aliás se você não sabe o significado de um sonho imediatamente, esqueça-o.) Neste sonho parecia que eu e um outro pastor estávamos andando num lugar semelhante a um campo de futebol, onde havia arquibancadas dos dois lados. Estávamos andando e conversando, quando meu companheiro deu um pulo e exclamou:"Veja!" Virei-me e vi dois leões ferozes rugindo. O homem e eu começamos a correr. Então parei e disse-lhe que estávamos longe demais das arquibancadas para lá chegarmos em segurança. Não poderíamos escapar daqueles leões. Parei então quase sem fôlego,virei-me, e fui ao encontro dos leões. Eles vieram em minha direção rugindo com suas presas à mostra. Eu, tremendo, disse a eles: "Resisto a vocês no Nome de Jesus. No Nome de Jesus vocês não podem me ferir!" E ali fiquei firme. Eles correram em minha direção, mas como se fossem gatinhos, fungando em volta de meus calcanhares, e por fim saíram fazendo travessuras, ignorando a minha presença. Neste momento despertei. Sabia exatamente o que Deus estava me dizendo. Veio-me a Escritura em I Pedro 5: "Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor,como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé..." (Vs. 8 e 9). A batalha física em que estava envolvido terminara ali.Instantaneamente os sintomas desapareceram e eu estava completamente bem. Fiquei firme. Não me rendi. Tinha vencido. Efésios 6:10 diz: "Finalmente, irmãos, sede fortalecidos no
13. Senhor e na força do seu poder". Muitas pessoas lêem esse verso e pensam que o Senhor está lhes dizendo para serem fortes por si mesmas. Mas a Escritura não diz uma palavra sequer a respeito de ser forte por si mesmo. Diz para ser forte no Senhor. "Não sei se posso ou não conseguir isso", dizem. Certamente você pode. Não hesite. Seja forte no Senhor. Seja forte na força do Seu poder, não na sua própria força ou poder. Primeira João 4:4 diz: "Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo". "Aquele que está no mundo" é Satanás, o deus deste mundo e a cabeça dos principados, poderes e dominadores das trevas deste mundo Mas o poder que está em você é maior do que o poder que está no mundo, porque o poder que sustenta nossa autoridade é maior do que aquele que sustenta a dos nossos inimigos.

PROFECIA
 O Espírito Santo diz: "O poder sobre a terra investido noNome de Jesus Cristo e obtido por Ele através de Sua vitória sobre oinimigo pertence à Igreja. Portanto, exercite essa autoridade, pois elalhe pertence aqui na terra, e assim, em vida, você reinará por Cristo Jesus".

                                                          CAPÍTULO 5
 Exercitando autoridade A porta para o exercício da autoridade tem seu pivô em duasfrases que Paulo orou em Efésios: "...fazendo-o sentar a sua direitanos lugares celestiais" (Efésios 1:20), e "...juntamente com ele nosressuscitou" (Efésios 2:6). Medite nessas duas orações. Aprenda a fazer delas suaoração. Alimente-se com as verdades nelas contidas até que setornem uma parte de sua consciência interior. Então elasdominarão sua vida. Mas não tente aceitá-las racionalmente; temque obter a revelação delas em seu espírito. Note que não somenteestá escrito assentado à direita do Pai, acima de todos os poderesda esfera de Satanás, mas que estamos lá também, porque Deus"ressuscitou-nos juntamente". Não somente fomos assentados, masobserve onde estamos assentados: "Acima de todo o principado, epotestade, e poder, e domínio." (Efésios 1:21). Na mente de Deus, fomos ressuscitados quando Cristo foiressuscitado. Quando Cristo se assentou, nos assentamostambém. É onde estamos agora, posicionalmente falando: estamossentados à direita do Pai com Cristo. (O ato de Cristo estarsentado implica em que, por enquanto, certos aspectos de Suaobra estão suspensos.) Toda autoridade que foi dada a Cristo pertence a nós, pormeio dEle, e podemos exercitá-la. Nós O ajudamos realizando Suaobra na face da terra. E um aspecto de Sua obra que a Palavra deDeus nos fala que façamos é derrotar o diabo! De fato, Cristo nãopode fazer Sua obra na terra sem nós! Alguém pode argumentar: "Bem, Ele pode viver sem mim,mas eu preciso dEle." Não, Ele não pode viver sem você mais do que você não podeviver sem Ele. Veja, a verdade que Paulo está ressaltando aqui emEfésios é que Cristo é a Cabeça e nós somos o Corpo. Que tal se seu corpo dissesse: "Posso viver sem minhacabeça. Não preciso dela." Não, seu corpo não pode viver sem suacabeça. E se sua cabeça dissesse: "Bem, posso viver sem meucorpo. Não preciso do resto dele; posso viver sem as mãos e ospés." Não, você não pode. Da mesma forma, Cristo não pode viver sem nós, porque aobra de Cristo e de Deus é realizada através do Corpo de Cristo.Seu trabalho nunca será feito sem a nossa participação e nósnunca viveremos sem Ele.
26. Efésios 6:12 diz: "Porque a nossa luta não é contra o sangue ea carne, e, sim contra os principados, e potestades” Se você isolareste verso de seu contexto e continuar falando a respeito daterrível luta na qual estamos empenhados contra o diabo,descrevendo como o diabo é poderoso, você perderá tudo aquilo deque Paulo fazia questão - porque não é isso que Paulo dizia emEfésios. Lembre-se, quando Paulo escreveu essa carta à Igreja emÉfeso, ele não a dividiu em capítulos e versículos. Os eruditos seencarregaram disso em data muito posterior, apenas para nossituar. Você pode causar grande prejuízo, às vezes, isolando umverso de seu capítulo, tirando-o de seu contexto, fazendo com quesignifique algo que realmente não quer significar. O Espírito Santoatravés de Paulo já disse no capítulo dois que estamos assentadosacima desses poderes com os quais temos que lidar. Não somenteestá escrito assentado à direita do Pai, muito acima dessespoderes, mas estamos lá também, porque Deus nos fez assentarjuntamente com Cristo. Portanto, em nossa batalha contra o inimigo e suas forças,precisamos ter em mente que estamos acima deles e que temosautoridade sobre eles. A Palavra nos diz que, porque Jesus asconquistou, somos conquistadores também. Sua vitória tambémpertence a nós, mas temos que levá-la a efeito. O DEMÔNIO COM O QUAL JESUS SE RECUSOU A LIDAR
Em 1952, o Senhor Jesus Cristo me apareceu numa visão efalou comigo por mais ou menos uma hora e meia sobre o diabo,demônios e possessão demoníaca. No final daquela visão, um espírito maligno que parecia ummacaquinho ou um duende correu entre mim e Jesus, espalhandoalguma coisa parecida com fumaça ou nuvem escura. Então este demônio começou a pular, gritando com uma vozestridente: "Iaqueti-iac, iaqueti-iac, iaqueti-iac". Eu não podia vera Jesus, nem entender o que Ele dizia. (Durante todo o tempo dessa experiência, Jesus estava meensinando alguma coisa. E se prestar atenção você encontraráresposta aqui para muitas coisas que o têm perturbado.) Não podia compreender por que Jesus permitia ao demôniofazer tanta algazarra. Fiquei imaginando a razão porque Jesus nãorepreendeu o demônio para que eu pudesse ouvir o que Ele falava.Esperei algum tempo, mas Jesus não tomou nenhuma atitudecom relação ao demônio; Jesus ainda estava falando mas eu nãopodia entender uma palavra sequer do que dizia e eu precisavaouvir, porque Ele dava instruções referentes ao diabo, demônios e
27. como exercer autoridade. Pensei comigo mesmo: "Será que o Senhor não sabe que não estououvindo o que Ele queria que ouvisse? Preciso ouvir isto. Estou perdendo!" Quase entrei em pânico. Fiquei tão desesperado que gritei:"No Nome de Jesus, espírito tolo, te ordeno que pares!" No mesmo instante que disse isso o demoniozinho caiu nochão como um saco de feijão e a nuvem negra desapareceu. Odemônio ficou ali no chão tremendo, choramingando e gemendocomo um cachorrinho acossado. Nem olhava para mim. "Nãosomente cales a boca, mas saias daqui em Nome de Jesus!"ordenei. Ele foi embora correndo. O Senhor sabia exatamente o que estava em minha mente.Eu estava pensando: Por que Ele não fez nada? Por que permitiuisso? Jesus me olhou e disse: "Se você não tivesse tomado umaatitude a respeito, eu não poderia também." Ao ouvir isto tomei um verdadeiro choque - fiquei pasmo.Respondi: "Senhor, acho que não O ouvi direito! O que o Senhordisse é que não o faria, não foi?" Ele respondeu: "Não, se você não tivesse tomado nenhumaatitude, eu também não poderia.” Repeti tudo por quatro vezes.Ele era enfático ao dizer: "Não, não disse que não faria, disse quenão poderia.” Disse: "Ora, querido Senhor, é impossível aceitar isso. Nuncaouvi nem preguei nada assim na minha vida." Disse ao Senhor que não me importava quantas vezes O viraem visões - Ele teria que me provar o que dizia com pelo menostrês Escrituras do Novo Testamento (porque não estamos vivendodebaixo da Velha Aliança, estamos vivendo sob a Nova). Jesussorriu suavemente dizendo que me daria quatro. Então eu disse:"Já li todo o Novo Testamento 150 vezes e muitos trechos delemais do que isso. Se isso está lá é novidade para mim!"
LIDANDO COM O DIABO
Jesus respondeu: "Filho, há muita coisa lá que você nãosabe." Ele continuou: "Em nenhuma só vez no Novo Testamento aIgreja foi convocada a pedir que Deus o Pai, ou Jesus, fizessequalquer coisa contra o diabo. De fato, pedir isto é desperdício detempo. O crente é conclamado a fazer alguma coisa com referênciaao diabo. A razão disso é porque você tem a autoridade para fazê-lo. A Igreja não tem que orar a Deus, o Pai, acerca do diabo; aIgreja tem que exercitar a autoridade que lhe pertence.” "O Novo Testamento fala aos crentes que façam eles mesmosalgo a respeito do diabo. O menor membro do Corpo de Cristo tem
28. tanta autoridade, tanto poder sobre o diabo como qualquer outro,sendo que, a menos que os crentes façam alguma coisa no tocanteao diabo, em muitas áreas nada será feito." Cremos que certas pessoas têm poder. Não, Jesus disse queo menor membro do Corpo de Cristo tem tanto poder sobre o diabocomo qualquer outro; e quando começamos a crer nisso, é aí queestamos começando a realizar o trabalho. Jesus continuou: "Fiz tudo o que tinha que fazer a respeitodo diabo, até que o anjo desça do céu, tome a corrente e amarre-ono fundo do abismo profundo" (veja Apocalipse 20:1-3). Isso foi um choque para mim. "Agora", Ele disse, "Aqui estão as quatro referências queprovam isso. A primeira de todas, quando ressuscitei dentre osmortos", disse. "Toda autoridade me é dada no céu e na terra"(Mateus 28:18). Mas, imediatamente deleguei minha autoridade sobre a terraà Igreja, e somente posso operar através da Igreja, pois sou aCabeça da Igreja! (Sua cabeça não pode exercitar qualquer autoridade, sejaonde for, a não ser através de seu corpo.) A segunda referência que Jesus me deu encontra-se emMarcos 16:15-18: "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai oevangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo;mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos quecrerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novaslínguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisamortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre osenfermos, e ws curarão." Ele disse: "O primeiro sinal que seguirá a qualquer crente -não qualquer pastor, ou evangelista - é que expulsarão demônios.Isso significa que em Meu Nome exercerão autoridade sobre odiabo, porque Eu deleguei à Igreja minha autoridade sobre odiabo!" Lembre-se, Colossenses 1:13 diz: "Aquele que nos libertoudo império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seuamor..." (Uma tradução diz: O Pai nos libertou do poder dastrevas.) A palavra grega “poder” significa "autoridade". O verso deveria ser assim: "O Pai nos libertou da autoridadedas trevas e nos transportou para o reino de seu querido Filho."Deus já nos libertou da autoridade das trevas! Portanto, temos odireito de falar às trevas - isso * é a Satanás e seu reino - e dar-lhes ordens! EXERCITANDO AUTORIDADE SOBRE OUTROS Os crentes têm autoridade sobre o diabo. Podem anular o
29. poder do diabo se este se manifestar em qualquer área, de suasvidas ou das vidas dos seus amados. Eles têm autoridade. Elesserão livres do inimigo já que obtiveram o direito de exercitarautoridade sobre ele. Isso não significa, entretanto, que sairão às ruas expulsandoo diabo de todos que encontrarem. Significa, primeiramente, queexercerão autoridade sobre o diabo em suas próprias vidas. Você tem que entender que tem autoridade sobre suaprópria casa, mas não tem sobre a de outra pessoa. A autoridade espiritual é muito semelhante à autoridadenatural. Por exemplo, você não tem autoridade sobre meudinheiro. Você não pode me dizer o que fazer com meu dinheiro, amenos que lhe dê permissão para isso. Você não tem autoridadesobre meus filhos. Você pode fazer com que o diabo desista de algumas de suasmanobras na vida de uma outra pessoa, mas você não podesempre expulsá-lo, porque não tem autoridade naquela "casa". Aqui está algo muitas vezes mal entendido. Somente atravésda intercessão podemos exercer autoridade espiritual na família deuma outra pessoa. A próxima referência que Jesus me deu foi em Tiago 4:7:"...Resisti ao diabo e ele fugirá de vós (o sujeito do verbo "resistir" é“vós”). O crente tem que ter autoridade sobre o diabo ou a Bíblianão lhe diria para fazer alguma coisa no tocante ao diabo. AEscritura não diz que o diabo fugirá de Jesus; diz que ele fugirá devocê! Da mesma maneira, você não ora para que Jesus imponhaas mãos sobre o enfermo; você o faz. Observe também, que asmãos não estão localizadas na Cabeça; as mãos estão no Corpo:"Eles... imporão as mãos sobre os enfermos e eles serão curados."Quando você impõe as mãos está exercendo autoridade sobre odiabo. Essa autoridade é sua, sinta-se você possuidor dela ou não. Aautoridade não tem nada a ver com os sentimentos, porém vocêprecisa exercitá-la. Após aquela visão, e depois que recebi de Jesus aquele versoem Tiago, meu espírito me disse que a palavra "fugir" erasignificativa. Procurei no dicionário e descobri que uma dasconotações da palavra seria "fugir aterrorizado". O diabo fugirá devocê, aterrorizado! Descobri então porque o demônio, na minhavisão, começara a se lamentar e a chorar - ele estava aterrorizado. Desde então tenho visto outros demônios tremerem de medoenquanto exerço sobre eles a autoridade que Deus me deu. Nãotêm medo de mim, mas de Jesus a quem represento.

30. Na visão, Jesus me deu uma outra Escritura que fala paratomarmos uma atitude quanto ao diabo. Esta terceira referênciase encontrava em Primeira Pedro. Pedro escreveu: "Sede sóbrios:vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda ao derredor,bramando como leão, buscando a quem possa tragar" (Pedro 5:8)."Seu adversário" significa seu oponente. Aqui, muitas pessoasparam na leitura. Dizem: "Oh, o diabo está atrás de mim!" Pedemoração para que o diabo não os alcance - mas, se falam assim, odiabo já os alcançou. É tarde demais para orar por eles. O que você vai fazer com ele? Rolar no chão e fingir que estámorto? Esconder a cabeça na areia e ficar esperando ali até queele desapareça? Não, graças a Deus, observe o que diz o texto, àmedida que continuamos a leitura. O verso seguinte diz: "Ao qualresisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições (testes eprovações) se cumprem entre os vossos irmãos do mundo". Jesus me disse nessa visão: "Pedro não escreveu essa carta edisse aos irmãos: "Eis que me veio a palavra segundo a qual estáusando nosso amado irmão Paulo na expulsão de demônios; ePaulo envia lenços e roupas, e as doenças deixam as pessoas, osespíritos malignos saem; por isso gostaria de sugerir que escrevampara Paulo e adquiram um lenço! Não ao contrário, disse-lhes que tomassem uma atitude paracom o diabo. Por quê? Porque tinham autoridade sobre ele. OEspírito de Deus, através do Apóstolo Paulo não lhe diria parafazer também qualquer coisa para a qual você não estivessecapacitado. A razão disso está no fato de que cada crente tem amesma autoridade que Paulo tinha em Jesus Cristo. Pedro não estádizendo que apenas Paulo expulsaria demônios ou que Paulo re-sistiria ao diabo por nós. (Por que pedir a Paulo para fazê-lo,quando você pode fazê-lo por você mesmo?) FICANDO NA BRECHA POR BEBÊS CRISTÃOS As pessoas estão sempre me perguntando por que não sãocuradas. Algumas pensam que há alguma coisa errada com opregador que orou por elas! Explico-lhes que quando foram salvas eram como bebês eDeus permitiu que outros orassem por eles e os "carregassem" nafé. Mas depois de algum tempo, Deus espera que esse nenêcresça, ande e comece a fazer as coisas por si mesmo. Deus põe obebê no chão e diz que ande; muitos, porém, não o fazem. Há umgrande número de pessoas que ainda querem continuar como be-bês e pedem a uma outra pessoa que ore por elas todo o tempo. Queremos ajudar os que necessitam, mas precisamosensinar às pessoas que elas podem crescer e exercer sua
31. autoridade, porque o tempo virá quando terão que usar de suaprópria autoridade, se quiserem ter suas orações respondidas. Certa ocasião, minha esposa e eu nos hospedamos com umcasal enquanto assistíamos a uma convenção. A esposa estiveraem nossa igreja antes de se casar. Pediram-nos que orássemospelo bebezinho deles, de apenas alguns meses de idade, que tinhauma hérnia. Os médicos queriam operá-lo. Amaldiçoamos a hérnia e ordenamos que se atrofiasse emorresse. Em apenas poucos dias ela desapareceu completamentee o bebê não mais precisou de ser operado. A mãe do bebê disse: "Irmão Hagin, não quero parecercrítica, mas em nossa igreja parece que nós, os mais novos, somosos únicos que acreditamos em cura divina. Não sabia a quempedir que orasse pelo bebê antes que você chegasse, porque nuncaninguém foi curado aqui." Devíamos ficar mais fortes, à medida que fôssemos ficandomais velhos, mas em geral não é o que ocorre. Na igreja dela,assim como em muitas outras, a maioria das pessoas foram salvasquando eram mais jovens e, naquela época, Deus permitia queoutros orassem por elas. Entretanto devido à falta de instruçãoapropriada, permaneceram no estágio infantil do desenvolvimentocristão. Dizem: "Éramos curados logo quando nos tornamoscrentes, mas agora isto não acontece mais". O fato de não exercitar sua própria fé ou não fazer suaspróprias orações, sempre dependendo das orações de alguém,faria tanto sentido quanto você nunca ter suas próprias roupas -sempre dependendo das roupas de outra pessoa para vestir. O que acontece às pessoas que nunca tentam exercitarnenhum tipo de fé pessoal, mas sempre descansam na fé deoutras pessoas? Acabamos de ler que "...o diabo, vosso adversário,anda ao derredor, bramando como leão, buscando a quem possadevorar..." Mas o crente pode fazer alguma coisa a respeito. Jesus, Tiago e Pedro nos falam para fazer algo com relaçãoao diabo. Paulo disse em Efésios 4:27: "Não deis lugar ao diabo."Esta foi a quarta Escritura que recebi de Jesus. Ele explicou: "Issosignifica que você não deve dar nenhum lugar ao diabo em suavida. Ele não tem poder para ocupar nenhum lugar, a menos quevocê lhe dê permissão. Você teria que ter autoridade sobre ele ouisso não seria verdade." AUTORIDADE SOBRE A TERRA Jesus acrescentou: "Aqui estão suas quatro testemunhas.Eu sou á primeira, Tiago é a segunda, Pedro a terceira e Paulo, aquarta. Isso estabelece o fato de que o crente tem autoridade
32. sobre a terra, pois eu deleguei a você, na terra, minha autoridadesobre o diabo. Se você não fizer alguma coisa, nada será feito. Épor essa razão que muitas vezes nada é feito." Agora você pode entender o porquê de muitos acon-tecimentos. Nós permitimos que aconteçam! Desconhecendo nossaautoridade - desconhecendo o que poderíamos fazer - não fizemosnada e de fato permitimos que o diabo continuasse fazendo tudo oque quisesse. Precisamos entender isso. Despertemo-nos. Talvez tenhamosque mudar nosso modo de orar e tomar a dianteira ao diabo. Eufiz isso. Você não sofrerá nada se mudar; é bom para você. Temosautoridade para fazê-lo. Estamos assentados à destra do Pai,acima de principados e potestades. Se estamos acima deles, entãotemos autoridade sobre eles. Efésios 1:22,23 continua dizendo: "E sujeitou todas as coisasa seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça daigreja (os pés são membros do corpo, não são membros da cabeça)que é o seu corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos."Concordando com o que John A. MacMillan ressaltou, como émaravilhoso saber que os membros mínimos do Corpo de Cristo -os que compõem os pés, uma pequenina unha, um dedinho -estão acima das poderosas forças às quais estamos nos referindo. Lembre-se, em Lucas 10:19 Jesus disse aos outros setentadiscípulos que enviou: "Eis que vos dou poder (autoridade) parapisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vosfará dano algum." Quanta autoridade sobre o diabo a Igreja tem?Alguma coisa menos do que isso? Não, graças a Deus, não. Se você ouvisse a média das conversas dos crentes ououvisse o sermão de alguns pregadores, teria a impressão de que odiabo é maior do que qualquer pessoa e que está dirigindo tudo.Sim, ele é o deus deste mundo, portanto está dirigindo o sistemado mundo. Estamos neste mundo, mas não somos deste mundo,diz a Bíblia, portanto ele não está nos dirigindo. O diabo tem nospisoteado já faz tempo demais. Estas coisas não são brincadeiras. Somos tolos quandofazemos piadas sobre isso. Uma vez numa convenção um pregadorme disse: "Bem, irmão Hagin, pus o diabo para correr. O problemaé que eu que estou correndo e ele vem atrás de mim!" Tal afirmativa só demonstra ignorância. Em primeiro lugar,você não tem que fugir do diabo. A Bíblia diz que ele é que fugiráde você. Você precisa pô-lo para correr. Infelizmente, penso queessa é a situação dos pregadores e igrejas na grande maioria dasvezes - de fato, na maior parte do tempo. Vemos isso por toda aparte.
33. REINANDO COMO REIS
Vejamos de novo em Romanos 5:17: "Porque, se pela ofensade um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só - Jesus Cristo." A Versão Ampliada diz que "reinaremos comoreis em vida através do Único, Jesus Cristo, o Messias, o Ungido". O plano de Deus para nós é que governemos e reinemos em vida como reis: governar e reinar sobre as circunstâncias, pobreza,enfermidade e tudo aquilo que possa constituir obstáculo para nós. Reinamos porque temos autoridade. Reinamos por Jesus Cristo. Na outra vida? Não, nesta vida. Ao cantarmos ou dizermos alguma coisa, estejamos seguros de que estamos afinados com a Palavra de Deus. Algumas pessoas cantam: "Aqui vou peregrinando, como um mendigo, no frio e no calor" ou "Precioso Jesus,não se esqueça de mim!" - todo o tipo de incredulidade. Não estamos vagueando como mendigos, porque não somos mendigos. Somos filhos de Deus, herdeiros de Deus, co-herdeiros com Cristo Jesus (Romanos 8:17). Somos o Corpo de Cristo.Estamos sentados com Cristo à destra da Majestade nas Alturas,acima de todas as potestades e poderes, força e domínio, glória a Deus! Isso não se assemelha muito a um mendigo ou "Precioso Jesus não se esqueça de mim!", ou "Se eu pudesse alcançar", ou"Ficando em algum lugar nas sombras você encontrará Jesus", ouainda "Senhor, construa uma casinha para mim num cantinho da terra gloriosa". Prefiro ouvir um jumento zurrar do que ouvir tais cânticos,mas nós os cantamos durante tanto tempo que acreditamos dizerem a verdade. Pessoas derramam algumas lágrimas porque"vagueiam como um mendigo" e pensam que estão sendo abençoadas! Muito freqüentemente os crentes agem como filhotes de pássaros, com os olhos fechados e a boca aberta. Qualquer pessoa pode vir e lhes dar qualquer coisa para. comer, e estão prontas para aceitar. Bem, não vou ficar com minha boca aberta e meus olhos fechados; vou ficar com meus olhos abertos e minha boca fechada!
HUMILDADE X POBREZA
Exemplificando: muitos crentes confundem humildade com pobreza. Um pregador certa vez me disse que fulano possuía humildade, porque andava num carro muito velho. Repliquei:"Isso não é ser humilde - isso é ser ignorante!" A idéia que o
34. pregador tinha de humildade era a de dirigir um carro velho. Um outro observou: "Sabe, Jesus e os discípulos nunca andaram num Cadilac" Não havia Cadilac naquela época. Mas Jesus andou num jumento. Era o "Cadilac" da época - o melhor meio de transporte existente. Os crentes têm permitido ao diabo lesá-los em todas as bênçãos que poderiam usufruir. Não era intenção de Deus que vivêssemos em pobreza. Ele disse que éramos para reinar em vida como reis. Quem jamais imaginaria um rei vivendo em estrita pobreza? A idéia de pobreza simplesmente não combina com reis.
EXERCENDO AUTORIDADE EM SUA FAMÍLIA
Não era intenção de Deus que o diabo dominasse nossas famílias. Quando nossos filhos eram pequenos e o diabo tentava adoecê-los, ficava furioso com o diabo e lhe dizia que se afastasse de meus filhos. Eu lhe dizia: "Estou governando em meu domínio.Você não dita normas nesta casa, eu governo através de Jesus Cristo." Punha-o para correr e ele obedecia. Você pode afugentá-lo também. Anos atrás, estava pregando no Norte e fui acordado no meio da noite. De algum modo sabia no meu espírito que alguém estava em perigo físico e comecei a orar em línguas. (É aqui que a intercessão entra em ação.) Perguntei ao Senhor qual era o problema e Ele me mostrou que era algo referente ao meu irmão mais velho. Sabia que sua vida corria perigo. Continuei a orar em silêncio, em línguas, por mais ou menos uma hora e meia. Não perturbei minha esposa que dormia ao meu lado. Finalmente, tive uma sensação de vitória e comecei a cantar bem baixinho em outras línguas. Então voltei a dormir. Dois dias mais tarde, minha irmã telefonou-me do Texas.Chorava, quase histérica. "Dub foi acidentado, fraturou a coluna",ela gritava. "Ele está muito mal. Está em Kansas. Os médicos nãosabem se ele sobreviverá ou não." "Espere um minuto", disse. "Acalme-se. Ele não está tão mal como eles pensam. E se estivesse, Deus já o teria tocado, porque o rei por ele dois dias atrás e já obtive resposta." "Você orou?" "Orei sim. Não fique nem um pouquinho preocupada. Ele está bem." Dois dias mais tarde ela telefonou-me novamente. Tinha pedido informações sobre as condições de Dub e ele já havia deixado o hospital, engessado. Não morrera, como os médicos haviam previsto, nem estava paralisado.
35. Ele veio para nossa casa no Texas, estava muito desanimado e deprimido, pois, enquanto esteve fora, sua esposa o havia abandonado levando as crianças. Eu pregava num culto em minha igreja naquela manhã de domingo e tentei levá-lo conosco,mas ele não quis. Era um bebê, havia se convertido havia pouco tempo. Bem no meio de meu sermão, repentinamente, tive uma visão. Meus olhos estavam abertos, porém, ali na minha frente via meu irmão no parque da cidade. Ouvi-lhe dizer para si mesmo:"Bem, sei o que vou fazer. Vou matá-la e em seguida, cometer suicídio." Paralisado, eu disse: "Espere um minuto. Tenho um assunto para resolver. Depois continuo meu sermão." Falei àquele demônio que o atormentava: "Diabo, pare com isso agora mesmo! Eu te ordeno, no Nome de Jesus Cristo, que deixe esse homem" (a congregação não sabia do que eu estava falando, mas o diabo sabia). Foi tudo o que eu disse. Então retornei ao meu sermão. Quando chegamos em casa meu irmão lá estava e, obviamente, de bom humor. Contou que tinha ido até o parque e que decidira resolver as coisas por si mesmo. Respondi: "Isso mesmo,eu sabia disso" e lhe relatei a visão. Ele disse: "Alguma coisa me envolveu de repente e foi como se algo me levantasse do chão. Foi como se uma nuvem tivesse sido tirada de cima de mim, voltei para casa assobiando e cantando! Dub não sabia como tocar o Senhor por si mesmo, porque era apenas um bebê na fé. Algumas vezes alguns de nós, que somos mais velhos no Senhor, temos que ajudar os bebês – e graças a Deus que podemos fazê-lo. Entretanto, virá um tempo em suas vidas, quando terão que saber como agir por si mesmos. E,então, não poderemos agir por eles.
APRENDA A SER EXALTADO
Nós cristãos precisamos aprender que estamos assentados com Cristo. Precisamos aprender a nos posicionar no lugar elevado onde Deus quer que estejamos! A Igreja falha, freqüentemente, neste ministério de autoridade. Em vez de ensinar a este respeito, ela se curva derrotada, vencida pelo medo. Efésios 1:22 diz: "E sujeitou todas as coisas a seus pés (de Jesus), e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja."Jesus é a Cabeça sobre a enfermidade e qualquer outro mal, como provou quando esteve aqui na terra.
36. Se mudarmos a ordem das palavras obteremos o sentido mais profundo, de modo mais claro: "...cabeça para a Igreja sobre todas as coisas". Jesus é a cabeça sobre todas as coisas por amor à Igreja. Precisamos meditar nessas verdades divinas para que nossos espíritos possam compreendê-las plenamente. Assim fazendo, receberemos ricas recompensas. Quando tomamos essa atitude reverente, o Espírito da Verdade, o Espírito Santo pode nos elevar ao lugar onde poderemos alcançar o verdadeiro significado da revelação de Deus. Em Efésios, Paulo orou para que a Igreja em Éfeso tivesse este espírito de sabedoria e revelação. Deus fez com que Cristo fosse a Cabeça sobre todas as coisas. É por amor a nós que Ele é a Cabeça, para que nós através dEle possamos exercer essa autoridade sobre todas as coisas. Quando compreendermos o que nos pertence, desfrutaremos da vitória que Cristo tem para nós. O diabo lutará para nos afastar dali, no entanto, através de uma fé persistente em Cristo,a vitória é nossa.
37. CAPÍTULO 6
Ressuscitado com Cristo No livro de Colossenses Paulo escreve à Igreja em Colossos.Embora use expressões ligeiramente diferentes, repete o que disse aos efésios sobre o plano redentor de Deus. Ele não prega uma mensagem nova nem diferente aos colossenses.
COLOSSENSES 1:15-20 15. O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; 16. Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele. 17. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele 18. E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha preeminência. 19. Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse, 20. e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão no céus.
No capítulo dois vemos que Cristo foi vivificado por Deus, o Pai: COLOSSENSES 2:12-15 12. Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela féno poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos. 13. E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas, 14. havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças,a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós,cravando-a na cruz. 15. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesma" O verso 12 diz que fomos ressuscitados com Cristo "pela fé no poder de Deus! Observe que foi o Pai quem realizou esse trabalho. O verso 13 nos fala que Deus não somente nos vivificou e a Cristo, simultaneamente, mas também ele nos perdoou os pecados!
38. Quando Jesus, o Justo, se entregou à morte, a cédula que era contra nós na lei foi quitada. O Pai então tornou sem efeito os mandamentos e as leis transgredidas que permaneciam entre Ele e nós. Esta cédula, agora anulada, foi por Ele pregada na cruz de seu Filho. Paulo está dizendo aqui em Colossenses que foi Deus quem elaborou o plano de redenção. Foi Deus quem levantou a Jesus dentre os mortos. Foi Deus quem Lhe deu um nome acima de todo nome. E foi Ele quem despojou os principados e poderes demoníacos que se opuseram à ressurreição de Cristo. A morte é a penalidade pelo pecado. Portanto, quando Cristo levou na cruz a culpa da humanidade, os poderes satânicos do ar buscaram exercitar seus direitos e retê-lo sob seu domínio.
AS CHAVES DA AUTORIDADE
A Bíblia diz que Satanás tinha o poder da morte -mas Jesus o conquistou. Jesus diz em Apocalipse 1:18: "E o que vivo e fui morto, mas aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno." Jesus Cristo tomou as chaves do diabo, glória a Deus! As chaves pertencem Àquele Que Tem Autoridade. Elas são as chaves da autoridade. Devemos nos lembrar que a morte física não é de Deus, é do inimigo. A morte é ainda um inimigo. A Bíblia diz que ainda é o último inimigo que será posto debaixo de seus pés. Graças a Deus, esse dia está vindo, mas você ainda não tem seu novo corpo. Você achará pessoas que crêem que viverão eternamente aqui, na carne, mas observe que isso jamais aconteceu. Um amigo discutia comigo a respeito deste ponto de fé e eu repliquei: "Se o próprio Paulo não conseguiu, talvez seja bom você esquecer isso." Não posso entender como uma pessoa pode ser tão tola ao ponto de crer que vai viver para sempre na carne - no corpo atual.Não, esse corpo vai ser transformado. Você não pode viver para sempre com ele. A Bíblia nos fala quando é que ele será transformado: quando Jesus vier. Em um momento, num piscar de olhos, nossos corpos que então estiverem vivos serão transformados e se tornarão imortais. Até então, temos um poder limitado sobre a morte. Após destruir os poderes demoníacos da autoridade que antes possuíam, Cristo "os expôs publicamente e sobre eles triunfou sobre si mesmo" (Colossenses 2:15). A afirmação de Paulo aqui se refere ao fato de ter Cristo sido elevado acima de Seus inimigos, à destra do Pai; um assunto sobre o qual Paulo escrevem o Livro de Efésios, como vimos anteriormente. De novo Paulo está enfatizando o trabalho do Pai na deposição dos poderes satânicos e na derrota do próprio Satanás. Em Efésios vimos também que o Filho está assentado acima destes poderes e que tem a autoridade do trono de Deus.Entretanto, é exatamente aqui que o mundo eclesiástico tem falhado. Já compreendeu que Jesus Cristo é a Cabeça Suprema da Igreja, no entanto, tem falhado na compreensão de que a Cabeça é totalmente dependente do corpo para a concretização de seus planos; que estamos assentados com Cristo nos lugares celestiais; e que Sua autoridade vigente sobre os poderes do ar tem que ser exercida através do Corpo. Podemos entender melhor do que nunca o que Jesus queria dizer quando afirmou: "...Tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu"(Mateus 18:18). Isto é exercitar Sua autoridade sobre a terra. Alguns de nós vislumbramos essa autoridade de vez em quando; alguns de nós como que desajeitadamente a exercitamos sem nos conscientizarmos plenamente do que estamos fazendo. O que me levou a estudar esse assunto foi fazer a mim mesmo esta pergunta: "Será que temos autoridade e não temos consciência deque a temos?" Quando comecei a estudar o assunto, descobri que de fato temos autoridade, graças a Deus. Também descobri que o céu nos dará respaldo pelo que recusarmos e pelo que permitirmos.Permitimos uma infinidade de coisas, mas não temos exercitado nossa autoridade. É por isso que as coisas, muitas vezes, são como são: Não temos tomado nenhuma atitude no tocante a elas.Estamos esperando em Deus e Ele está esperando por nós. Ele não fará nada antes que comecemos a agir. Houve ocasião em que, orando por pessoas quase à morte, o Senhor me falou: "Vou fazer o que você está me pedindo! Numa dessas vezes pedi ao Senhor que desse à pessoa mais dois ou três anos. Ele respondeu-me que o faria simplesmente porque eu o pedia que fizesse. Então me disse: "Nenhum pai terreno deseja fazer mais pelos filhos do que Eu, basta apenas que eles permitam." Algumas pessoas pensam que Deus é um tirano sentado no trono pronto a golpeá-las, a aniquilá-las no momento em que cometerem qualquer erro. Mas este não e um retrato verdadeiro do Pai. Os planos do Senhor tardam em sua realização, porque Seu corpo tem falhado em considerar o significado da exaltação de Cristo e o fato de estarmos assentados com Ele à destra do Pai.Temos um papel nisso: devemos cooperar com o Senhor, pela fé. Jesus disse que o Espírito Santo, que vem para habitar em nós quando nascemos de novo, nos guiaria em toda a verdade.
40. Um pregador certa vez pegou a Bíblia e a atirou ao chão,declarando que não necessitava dela porque tinha o Espírito Santo. Mas, de fato, precisava da Bíblia, porque você não pode seguir o Espírito Santo em toda a verdade separado da Bíblia. Quando você vai além da Palavra escrita de Deus, você já está longe demais. Fique com a Palavra. A Palavra de Deus tem origem no Espírito de Deus: homens santos do passado a escreveram. A Palavra de Deus é de primordial importância. Mas você não a entenderá jamais com sua mente; você deve entendê-la com o coração. Não ponha o Espírito acima da Palavra. Ponha a Palavra em primeiro lugar e em seguida o Espírito, e esteja a salvo. O conhecido editor pentecostal Stanley Frodsham, autor da biografia de Smith Wigglesworth, ressaltou o fato de que Wigglesworth era, acima de tudo, um homem da Palavra de Deus e, em segundo lugar, um homem cheio do Espírito de Deus. Esta é uma excelente combinação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário