O militar-traficante que começou sua carreira criminosa no governo do PT e encerrou no atual governo - Se Liga na Informação



O militar-traficante que começou sua carreira criminosa no governo do PT e encerrou no atual governo

Compartilhar isso

O militar-traficante estava nessa atividade (de tráfico internacional) desde 2011.
O primeiro voo internacional que ele fez durante o governo da mulher-sapiens que estocava vento, que tinha fama de “gerentona”, mas que não conseguia gerenciar as próprias coisas que dizia.

O militar fez outros voos, também, durante o governo-tampão daquele Libanês de boa estirpe que caiu sem Temer o destino que lhe aguardava, e que era casado com a moça polyanesca que lhe deu um filho engraçadinho, que virou até Youtuber.
Os dois governos (da mulher-sapiens e do libanês que caiu sem Temer) passaram; começou o governo de Jair Bolsonaro, e o militar-traficante não parou com seus voos internacionais. É que todo bandido que usa o aparato do Estado para cometer crimes é, mesmo, ousado (um país que foi governado pelo PT sabe bem disso!)

E daí, já no império desse novo governo, eis que o criminoso é pego!
O bandido infiltrado nas Forças Armadas “rodou” assim que a Esquerda saiu do Poder, e será punido por esse Governo, de Jair Bolsonaro, que conseguirá fazer o que os antecessores não fizeram: eliminar dos quadros das Forças Armadas um traficante.
Portanto, quem segue essa narrativa de “Bolso Narcos”, que faz uma suposta ligação de Bolsonaro a traficantes, é um ESTÚPIDO, é um CANALHA; é um ser humano de quem me dá vontade de rir, pela tamanha idiotice do qual é provido.
Para esse beócio, esse néscio, esse energúmeno, esse parvo, esse imbecil filho de uma mulher de vida fácil, digo que é exatamente o inverso: quem gosta de traficante e criminoso é o PT e a Esquerda, que têm ligações até com as FARC.

Com efeito, o PT e a Esquerda são amigos de ditadores que toleram o tráfico de drogas, como o venezuelano Nicolás Maduro, que hoje estaria dando aulas para o Brasil sobre como transformar um país em um narcoestado, caso Fernando Haddad tivesse vencido as eleições.
A militância esquerdista é burra, e não enxerga as coisas como elas são. Simples assim. Nem vale a pena perdermos tempo falando desses seres sem desenvolvimento intelectual completo, que não possuem meios de concatenar as ideias.
Vamos para o próximo assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário