HERESIAS | IGREJA: Fake News – um velho pecado com nova roupagem - Se Liga na Informação



HERESIAS | IGREJA: Fake News – um velho pecado com nova roupagem

Compartilhar isso

Por Maurício Montagnero
Nesta reta final de eleições temos várias Fake News em nota. A expressão se refere sobre notícias falsas, inventadas e mentirosas. Na Escrituras a mentira, ou seja, a Fake News é denunciado constantemente, veja: 
“Não dirás falso testemunho contra o teu próximo”. Êxodo 20:16
“O que usa de fraude não habitará em minha casa; o que profere mentiras não estará firme perante os meus olhos”. Salmos 101:7
“Os lábios mentirosos são abomináveis ao Senhor; mas os que praticam a verdade são o seu deleite”. Provérbios 12:22
“Ele (o diabo) foi homicida desde o princípio, e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira”. João 8:44
“Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros”. Efésios 4.25
“Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do homem velho com os seus feitos, e vos vestistes do novo, que se renova para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou”. Colossenses 3:9-10
“Mas, se tendes amargo ciúme e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade”. Tiago 3:14
“Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.  Apocalipse 22.15.
A Bíblia ainda narra, no livro de atos, uma história que no início da igreja um casal que mentiu aos apóstolos tiveram como consequência do Senhor a própria morte (At 5.1 – 5). No mesmo livro também é narrado que quando Paulo foi pregar em uma cidade chamado Bereia lá eles ficavam examinando… para ver se tudo era assim mesmo, por isso eles foram considerados mais nobres que os de Tessalônica que não tinham a mesma prática (At 17.10 e 11), a qual era uma cidade anterior que Paulo tinha pregado.
Portanto, amado leitor, não se deixe levar pelas Fake News e seja uma pessoa igual os de Bereia, ou seja, observadora, analista, pesquisadora, que cheque a veracidade da notícia; não permita que sua tendência política seja maior que seu caráter, abomine esta prática e seja você a mudança moral que nossa nação precisa.


Reflita sobre a citação de dois textos bíblicos:
“Seja o seu ‘sim’, ‘sim’, e o seu ‘não’, não’, o que passar disso vem do Maligno”. Mateus 5.37.
“Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas”. Filipenses 4.8
FAKE NEWS GOSPEL
Todavia, nossa conversa não acaba por aqui! Em cima deste assunto é interessante trabalhar com o evangelho falso que muitas vezes tem sido resenhado por aí. O termo gospel é o inglês de evangelho, mas este se tornou um adjetivo para várias atividades da igreja brasileira (música gospel, balada gospel, show gospel e etc) que não reporta ao verdadeiro evangelho, mas a outro evangelho. A expressão evangelho no original, a grosso modo, segue o sentido de boas novas ou boas notícias, porém o gospel brasileiro junto com outras ondas (seitas e neopentecostalismo) têm feito que essas notícias (em inglês News) sejam falsas (em inglês Fake), ou seja, o nosso gospel ao lado das ondas citadas são Fake News ou aquilo que Paulo chamaria de outro evangelho.
Em Gálatas 1.6 e 7 Paulo admira-se pela apostasia, com certa velocidade, de alguns da igreja da Galácia do verdadeiro evangelho que fora propagado e pelo qual eles tinham sido chamados pela graça de Cristo, a fim de seguirem um outro evangelho. A palavra grega para outro é hetellos que tem o sentido de outra espécie, outra essência, divergente com que ele é e que na realidade não era outro (agora aqui usa-se allos que tem o sentido de semelhante, por exemplo, Jo 14.6 – outro Consolador) igual ou convergente com ele. A NVI não coloca a expressão do allos, mas faz um acréscimo de compreensão, pontualmente feliz, com a frase: Não é o evangelho! Este outro evangelho ou não evangelho eram de perturbadores, judeu-cristãos (judaizantes), que se achegavam nas cidades e ensinavam a volta das práticas legislativas veterotestamentárias (especialmente a circuncisão) e, assim, pervertiam os ensinos do apóstolo que por sua vez, conforme mostra os verso 10 – 12, era o verdadeiro. Paulo não tem como preocupação em agradar estes homens, e se ele tivesse tal inclinação não seria de servo de Cristo; preocupação dele é fazer os gálatas entenderem que o evangelho que fora anunciado por ele é genuíno e autêntico e foi entregue pelo próprio Cristo (cf: v.1).
Logo, amado leitor, muito cuidado com o evangelho diferente, de outra substância e divergente com aquilo que a Escrituras expõem, o Gospel Fake News, todavia, faça conforme já citado neste artigo, tenha a prática de estar examinado todos os dias as Escrituras, para ver se tudo é assim mesmo (At 17.11), ou seja, se é convergente e igual com que ela expõe. E isto não só com o gospel e as ondas estranhas, mas em tudo e com todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário