Lula a Palocci: “O cara confirmou os 30 milhões de euros, pô, você tem que me ajudar” - Se Liga na Informação



Lula a Palocci: “O cara confirmou os 30 milhões de euros, pô, você tem que me ajudar”

Compartilhar isso

Em seu acordo de colaboração, o ex-ministro Antônio Palocci disse que o grupo Casino pagou 30 milhões de euros ao ex-presidente Lula para impedir uma manobra de Abílio Diniz pelo controle do Grupo Pão de Açúcar que diluiria a participação dos franceses na rede de supermercados.
Palocci revelou ainda que a propina foi repassada por meio do banco Safra. Ainda segundo Palocci, ele mesmo foi ao banco retirar recursos em cash para Lula. O dinheiro também abasteceu a campanha de Fernando Haddad para a Prefeitura de São Paulo, em 2012, e a de reeleição de Dilma Roussef, em 2014.
O ex-ministro contou que, inicialmente, tentou ajudar Abílio, de quem era amigo e com quem mantinha contrato de consultoria via Projeto. O empresário queria evitar que o grupo Casino assumisse o controle do Pão de Açúcar e pediu ajuda para obter empréstimo do BNDES para comprar o Carrefour e, assim, diluir a participação dos franceses.
Inicialmente, Lula se dispôs a ajudar na operação, convencendo Dilma Rousseff e Luciano Coutinho. Mas mudou de ideia depois que o grupo Casino lhe ofereceu a quantia de 30 milhões de euros para inviabilizar a estratégia de Abílio.
Segundo Palocci, pelo lado do Casino atuaram José Dirceu, o advogado Marcelo Trindade e o próprio presidente do grupo, Jean Charles Noury. Também entrou na jogada o banqueiro Joseph Safra, que se dispôs a “operacionalizar as questões financeiras”.
Na sua delação Palocci disse que, numa das conversas com Lula, o ex-presidente lhe pediu que “segurasse” Abílio Diniz, pois já estava fechado com os franceses. “O cara confirmou os trinta milhões de euros, pô, você tem que me ajudar”, teria dito o ex-presidente, ao comentar o acerto com Jean Charles.
“Lula fez a parte dele, fazendo com que o BNDES não liberasse o empréstimo pré-aprovado e inviabilizando qualquer apoio governamental ao GPA”, contou Palocci. Com o sucesso da operação, o Casino assumiu o controle do Pão de Açúcar.
Do saldo de 30 milhões de euros – equivalente a R$ 138 milhões -, Safra teria repassado R$ 2 milhões para a campanha de Haddad e outros R$ 10 milhões para a de Dilma. Ele teria feito doações oficiais e não oficiais ao Instituto Lula, tendo Palocci realizado frequentes retiradas diretamente no banco.
Safra teria convidado o “italiano” para ser conselheiro do banco na Suíça, o que o delator entendeu como uma forma de manter Lula informado sobre o dinheiro alocado. Os depoimentos de Palocci referentes ao caso foram encaminhados ao MPF de São Paulo.

Fonte: https://portalnahora.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário